GESTÃO DE CRECHES: (RE) LEITURAS DE UM PROCESSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA

Palavras-chave: Gestão da educação municipal. Formação continuada de gestores e professores. Educação infantil.

Resumo

Este artigo tem como propósito analisar percepções de gestoras de creches sobre a formação continuada, ofertada pela Secretaria de Educação de Santo André, com vistas a identificar elementos que contribuem para aprimorar seu papel como “formadoras de professores”, em torno do seguinte questionamento central: quais características são importantes para que uma gestora de educação infantil conduza bem o processo formativo de sua equipe? Como metodologia para coleta de dados optou-se pela realização de um Grupo Operativo, fundamentado em Pichon-Rivière (1988; 1991), já que o autor se baseia na perspectiva de operar a partir das ideias dos participantes, evidenciando contradições e impasses. O estudo conclui que algumas gestoras não se reconheceram como formadoras. Infere-se que isso pode ocorrer em função do sentido construído no campo das políticas educacionais que atribui ao termo formação, um significado que pode induzir à percepção de distanciamento entre programas de governo e a realidade das redes de ensino, que desconsidera, muitas vezes, a possibilidade de reorganização do planejamento dos fazeres a partir das demandas e problemas que emergem no cotidiano das creches. Palavras-chaves: Gestão da educação municipal. Formação continuada de gestores e professores. Educação infantil.

Biografia do Autor

Angela Maria Martins, Fundação Carlos Chagas
Pesquisadora da Fundação Carlos Chagas Área - política e gestão da educação
Publicado
2019-04-02