A (in) visibilidade da escola: implicações das avaliações externas no contexto escolar

  • Ivan Amaro UERJ
Palavras-chave: avaliações externas, performatividade, gerencialismo.

Resumo

No Brasil, desde os anos 1990, as políticas de avaliação em larga escala seguem políticas mundiais e se instalaram com o principal objetivo de verificar a qualidade da educação. Após quase 20 anos, os impactos dessas políticas nas escolas públicas evidenciam-se. A divulgação centrada nos resultados promove uma visibilidade e, concomitantemente, uma invisibilidade das escolas. Busca-se discutir os efeitos que estas avaliações têm promovido no trabalho docente e nas escolas, focalizando tensões geradas a partir dos exames nacionais pelos quais a escola básica passa. Procura-se, ainda, apontar possibilidades para que as avaliações, articuladas aos processos de avaliação interna, se deem dentro de um paradigma formativo e ancorado no conceito de qualidade negociada, apontando para o desenvolvimento da escola, do professor e das aprendizagens dos alunos. Compartilhamos análises de pesquisa realizada em escolas dos anos iniciais do ensino fundamental de uma rede municipal. Foram utilizadas entrevistas semiestruturadas para a coleta dos dados. Como resultados, percebe-se que as avaliações alteram práticas pedagógicas na escola, apresentando características neotecnicistas, performativas, gerencialistas e de controle do currículo. Para além de nossas análises críticas, a pesquisa também focaliza olhares propositivos.

Biografia do Autor

Ivan Amaro, UERJ
Prof. Do departamento de professores Prof. Do programa de pos-graduação em educação, cultura e comunicação
Publicado
2013-07-29
Seção
Artigos