http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/olam/issue/feed OLAM - Ciência & Tecnologia 2018-09-06T17:02:12-03:00 Profa. Dra. Solange T. de Lima Guimarães hadra@uol.com.br Open Journal Systems <HTML> <FONT FACE="ARIAL" SIZE="2"><dd>A revista OLAM* teve início em 2001 sob o formato de CD-rom, ISSN 1519-8693, abrangendo as edições do Ano I, vol. 1, no. 1 - agosto/2001 até Ano VII, vol. 7, no. 1 - maio/2007. A partir de sua edição V. 7, N. 2 (2007) passou a ser publicada online, mediante o Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER), com o ISSN 1982-7784, apresentando edições temáticas anuais e edições especiais.<dd>Busca atender diferentes interesses profissionais e acadêmicos, com a divulgação de estudos e pesquisas multidisciplinares na área ambiental, enfocando diferentes abordagens e perspectivas, contribuindo para a difusão e intercâmbio de conhecimentos teóricos ou aplicados, bem como para a formação de redes de pesquisadores nacionais e estrangeiros. Informamos que não estamos associados a programas de pós-graduação. <p> *Olam em hebraico significa universo <p> <p> <p> <p> <dd>The Journal OLAM* has began to be published in August 2001 under a CD-rom format, ISSN 1519-8693, covering the editions from Year I, 2001 Aug;1(1) up to Year VII, 2007 May; 7(1). From the edition 7(2) 2007 the journal passed to be published online, through the Electronic System for Journal Publishing (SEER), ISSN 1982-7784, presenting regular semi-annual thematic issues and special editions.<dd>This publication looks forward to attend different professional interests and academics, with the dissemination of studies and multidisciplinary research in environmental, focusing on different approaches and perspectives, contributing to the dissemination and exchange of theoretical or applied knowledge, as well as developing a network of national and foreign researchers. Please be advised that we are not associated with graduate programs. <p> * Olam in Hebrew means universe <p> <p> <p>&nbsp;</p> <!-- AddThis Button BEGIN --> <script type="text/javascript">var addthis_pub = "suelybcs";</script> <a href="http://www.addthis.com/bookmark.php" onmouseover="return addthis_open(this, '', '[URL]', '[TITLE]')" onmouseout="addthis_close()" onclick="return addthis_sendto()"><img src="http://s7.addthis.com/static/btn/lg-bookmark-en.gif" width="125" height="16" border="0" alt="" /></a><script type="text/javascript" src="http://s7.addthis.com/js/152/addthis_widget.js"></script> http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/olam/article/view/12864 PROPOSTA DE CLASSIFICAÇÃO DE BROWNFIELDS/ 41/5000 BROWNFIELDS CLASSIFICATION PROPOSAL 2018-09-06T16:55:25-03:00 Juliana dos Santos Lino jslino@usp.br Afonso Rodrigues de Aquino afonsoaquino@gmail.com Brownfields são uma realidade nas metrópoles. Áreas que foram contaminadas por atividades industriais, depósito irregular de resíduos ou de substâncias tóxicas, apresentam dificuldade em acompanhar as mudanças de uso e ocupação do solo, comuns nas dinâmicas da sociedade. Os processos de desindustrialização nas metrópoles resultam na identificação de um número crescente de brownfields. Considerando que as formas de gerenciamento e refuncionalização são temas contemporâneos, que impactam diversas áreas, como meio ambiente, desenvolvimento urbano e saúde pública, foi proposta uma metodologia de classificação dos brownfields, analisando suas especificidades, pois as áreas apresentam variações entre si. Foram selecionados atributos, que descrevam a qualidade ambiental da área e, por meio destes, as áreas foram classificadas em seis grupos distintos. A classificação dos brownfields pode auxiliar a melhor compreensão acerca destas áreas, com suas particularidades bem descritas e pode ser uma importante ferramenta na tomada de decisão sobre empreendimentos e o planejamento urbano. 2018-04-03T16:09:31-03:00 Copyright (c) 2018 Juliana dos Santos Lino, Afonso Rodrigues de Aquino http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/olam/article/view/12901 AVALIAÇÃO DO IMPACTO DE PARQUES EÓLICOS NA QUALIDADE VISUAL DA PAISAGEM: BALNEÁRIO CASSINO, RIO GRANDE-RS/EVALUATION OF THE IMPACT OF WIND PARKS IN THE VISUAL QUALITY OF THE LANDSCAPE: BALNEÁRIO CASSINO, RIO GRANDE-RS 2018-09-06T16:56:36-03:00 Francieli Alves Correa francielialvescorrea@yahoo.com.br Pedro de Souza Quevedo Neto quevedoneto@uol.com.br Nos últimos 50 anos a velocidade, escala, frequência e magnitude das mudanças têm alterado profundamente as paisagens e o setor das energias renováveis tende a se transformar em uma das forças motrizes (drivers) mais influentes no cenário global de seu desenvolvimento. Embora consista numa fonte de energia limpa relativamente aos combustíveis fósseis a geração de energia eólica causa impactos, inclusive na qualidade visual da paisagem, questão central na gestão de destinos turísticos, por constituir a paisagem um elemento essencial na oferta turística. O litoral sul do Rio Grande do Sul possui grande potencial para a implementação de parques eólicos, os quais foram construídos ao longo deste litoral, entretanto, nas licenças ambientais, a qualidade visual da paisagem não foi considerada. Este trabalho tem como objetivo avaliar tais impactos no Balneário Cassino, Rio Grande/RS, o destino turístico mais consolidado do litoral sul gaúcho. Tais informações são importantes já que as 32 torres de mais de 90 metros de altura, podem ser vistas em toda a extensão da praia. O Método Q foi utilizado para avaliar os impactos visuais do parque eólico em turistas e residentes. Os resultados mostram que na circunstância atual da singularidade do parque eólico na paisagem local, os aerogeradores integram as paisagens mais preferidas por moradores e turistas, sugerindo que impactam positivamente na qualidade visual da paisagem. 2018-04-03T16:09:32-03:00 Copyright (c) 2018 Francieli Alves Correa, Pedro de Souza Quevedo Neto http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/olam/article/view/12821 A GESTÃO DO TERRITÓRIO E A SUSTENTABILIDADE NOS ARQUIPÉLAGOS DE FERNANDO DE NORONHA (BRASIL) E AÇORES (PORTUGAL)/THE MANAGEMENT OF THE TERRITORY AND SUSTAINABILITY IN THE ARCHIPELAGS OF FERNANDO DE NORONHA (BRAZIL) AND AZORES (PORTUGAL) 2018-09-06T16:58:33-03:00 Tatiane Ferrari do Vale tatianeferrari01@gmail.com Jasmine Cardozo Moreira jasminecardozo@gmail.com Os arquipélagos de Fernando de Noronha (Brasil) e Açores (Portugal) são lugares singulares do ponto de vista geológico, pois apresentam importantes evidências de parte da história geológica das ilhas oceânicas de origem vulcânica. Com o surgimento dos geoparks, novas perspectivas sobre a sustentabilidade e o patrimônio geológico passaram a ser consideradas, o que trouxe benefícios para as comunidades locais e para o meio ambiente. Assim, o objetivo desta pesquisa foi apresentar ações de sustentabilidade passíveis de serem aplicadas nos arquipélagos de Fernando de Noronha e dos Açores. Deste modo, conclui-se que ações específicas no âmbito da proteção da geodiversidade e do patrimônio geológico, como o incentivo a criação de novos produtos, a promoção de cursos e eventos, bem como o desenvolvimento de projetos de educação e sensibilização podem contribuir com a sustentabilidade destes destinos insulares. 2018-04-03T16:09:32-03:00 Copyright (c) 2018 Tatiane Ferrari do Vale http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/olam/article/view/12556 REABILITAÇÃO E RENOVAÇÃO DA ÁREA CENTRAL DA CIDADE DE MAPUTO VERSUS QUALIDADE DE VIDA URBANA/REHABILITATION AND RENEWAL OF THE CENTRAL AREA OF THE CITY OF MAPUTO VERSUS URBAN LIFE QUALITY 2018-09-06T16:59:53-03:00 Luiz Adriano Guevane luisguevane@yahoo.com.br A evolução da cidade na lógica do desenvolvimento sustentável passa, entre outros tipos de intervenção urbana, pela reabilitação e renovação de cidades como Maputo. Neste sentido, o artigo objetiva a análise das relações entre estes dois tipos de intervenção e a qualidade de vida urbana, numa economia tendencialmente de livre mercado. A produção deste artigo foi suportada pela revisão de literatura, vivências pessoais e observações no terreno. Da referida revisão resultou, por um lado, a concentração nos tipos de intervenção urbana já referidos e, por outro, em indicadores selecionados de qualidade de vida urbana na ótica do planeamento urbano. Evidências empíricas demonstraram que tanto a reabilitação como a renovação urbanas, ao reforçarem o processo de ocidentalização e de emergência de orientalização da cidade de Maputo melhoraram a qualidade de vida urbana sobretudo sob o ponto de vista infraestrutural, segmentando assim o acesso à oferta de serviços e de recursos urbanos. 2018-04-03T16:09:33-03:00 Copyright (c) 2018 Luiz Adriano Guevane http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/olam/article/view/13320 BIOINDICADORES E BIOMONITORAMENTO DA QUALIDADE DA ÁGUA DO CÓRREGO MARIMBONDO E DO CÓRREGO TAMBORIL NO MUNICÍPIO DE JALES-SP/BIOINDICATORS AND BIOMONITORATION OF THE WATER QUALITY OF THE MARIMBONDO STREAM AND THE TAMBORIL STREAM IN THE MUNICIPALITY OF JALES-SP 2018-09-06T17:02:12-03:00 Márcia Noélia Eler marcianoeliaeler@gmail.com Fabiana Alvão dos Santos fabyjales@gmail.com RESUMO Em todo o planeta, praticamente não existe um ecossistema que não tenha sofrido influência direta e/ou indireta do homem, resultando na diminuição da diversidade de hábitats e perda da biodiversidade. Diante do exposto, o presente trabalho teve como objetivo avaliar as características e o nível de impacto decorrente de atividades antrópicas em dois trechos do Córrego Marimbondo e um trecho do Córrego Tamboril, no município de Jales-SP visando observar o nível de conservação das condições ecológicas. Foram avaliados e submetidos a pontuação um conjunto de parâmetros ambientais pertencentes a essa região, em que se considerou: de 0 a 30 pontos “trechos impactados", de 30 a 50 pontos “trechos alterados", e acima de 50 pontos “trechos naturais”. Os resultados revelaram que os três trechos analisados tanto do córrego Marimbondo e do córrego Tamboril sofreram alterações antrópicas, observado pelo nível “alterado” e “impactado” de preservação das condições ecológicas. Palavras-Chave: Biodiversidade. Conservação. Impacto. Atividades Antrópicas. Córrego. Condições Ecológicas. 2018-06-15T15:08:36-03:00 Copyright (c) 2018 Márcia Noélia Eler, Fabiana Alvão dos Santos