Formação de professores e educadores ambientais: diálogos generativos para a práxis

  • Laísa Maria Freire Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Cae Rodrigues Universidade Federal de Sergipe

Resumo

No presente trabalho argumentamos que analisar a produção científica (trabalhos apresentados) do Encontro Pesquisa em Educação Ambiental (EPEA) é trazer os contextos da prática para uma discussão atualizada sobre a Pesquisa em Educação Ambiental (PEA) no Brasil, abrindo caminhos para formulações teóricas em uma perspectiva da práxis. Caracterizamos os trabalhos apresentados no Grupo de Discussão de Pesquisa sobre “Formação de professores e educadores ambientais” do X EPEA e elaboramos um conjunto de questionamentos generativos como potencial agenda de pesquisa, ou enquadramento metodológico para a (des)(re)construção, ou (re)formulação de pesquisas e ações no âmbito da educação ambiental com foco na formação de educadores ambientais. Entre os limites conceituais-metodológicos atuais/remanescentes da PEA com foco na formação de professores e educadores ambientais discutidos, destacamos: a persistência do histórico gap entre teoria e prática; a desarticulação das “novas” teorias em relação aos contextos geo-epistemológicos do campo ambiental; a ausência de diálogos Norte-Sul e a não-presença de epistemologias do Sul. A ênfase principal dos questionamentos levantados e da agenda de pesquisa proposta é a potencial superação desses limites no sentido da práxis ambiental.

Biografia do Autor

Laísa Maria Freire, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Departamento de Ecologia, instituto de Biologia 

Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências e Saúde

Programa de Pós- graduação em Ciências Ambientais e Conservação

Publicado
2020-06-17
Seção
Artigos