<b>Letramento em Matemática: um estudo a partir dos dados do PISA2003</b>

  • Glauco da Silva Aguiar Colégio Militar do Rio de Janeiro (CMRJ)
  • Maria Isabel Ramalho Ortigão Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Educação Matemática. Currículo Aprendido. PISA2003. Funcionamento Diferencial do Item.

Resumo

Resumo Neste trabalho partimos do pressuposto de que os resultados das avaliações em larga escala são instrumentos adequados para compreender o currículo aprendido. Entendemos, ainda, que os resultados obtidos por distintos países em avaliações internacionais constituem-se uma boa estratégia para captar ênfases diferenciadas no currículo ensinado. A partir dos resultados do Programa Internacional de Avaliação dos Estudantes - PISA 2003, buscou-se comparar diferenças nas ênfases curriculares em Matemática entre Brasil e Portugal. Para isto, a pesquisa utilizou como metodologia a análise do Funcionamento Diferencial do Item (DIF). Esta metodologia possibilita identificar itens que violam um dos principais pressupostos da Teoria de Resposta ao Item (TRI), segundo o qual, alunos de grupos distintos, mas de mesma habilidade cognitiva, têm a mesma probabilidade de acertar um item. A análise em 84 itens da prova de Matemática do PISA 2003 mostrou que alguns itens apresentam DIF entre alunos brasileiros e portugueses. De modo sintético, podemos dizer que alguns itens mostram-se mais fáceis aos alunos brasileiros, em especial os que se referem à subárea Quantidade. Já os itens da subárea Mudança e Relações são, aparentemente, mais fáceis aos alunos portugueses. Ao mesmo tempo, itens envolvendo contextos científicos mostram-se mais fáceis aos alunos portugueses, enquanto os que envolvem contextos da vida pessoal são mais fáceis aos brasileiros. Os resultados desta pesquisa evidenciam a relevância e necessidade da ampliação do debate curricular no campo da educação matemática. A compreensão dos resultados dos testes de avaliação em larga escala pode fornecer novas questões sobre o como e o quê os alunos aprendem Matemática. Palavras-chave: Educação Matemática. Currículo Aprendido. PISA2003. Funcionamento Diferencial do Item. Mathematical Learning: a study based on data from the PISA2003 Abstract This work begins with the assumption that the results of large-scale evaluations are appropriate tools for understanding the curriculum learned. We also think that the results of international evaluations conducted in different countries are a good strategy to identify the different emphases of the various curriculums. Based on the results of the Program of International Student Assessment - PISA2003, a comparison was made between differences in math curriculum emphases in Brazil and Portugal. The methodology used for analysis was Differential Item Functioning (DIF). This methodology enables the identification of items that violate one of the key assumptions of Item Response Theory (IRT), whereby students from different groups, but the same cognitive skill, have the same probability of answering an item correctly. Analysis of 84 items of the mathematics test of the PISA 2003 showed that some items present DIF between Brazilian and Portuguese students. Some items are easier for Brazilian students, in particular as regards the sub-area “quantity”. On the other hand, the items of the sub-area “change and relationships” are apparently easier for students from Portugal. Items involving scientific contexts are easier for students in Portugal, as well, while involving contexts of personal life are easier for Brazilians. The results of this survey demonstrate the relevance and need of expanded debate on curriculum in education mathematics. Understanding the results of the tests of large-scale evaluations can provide new questions about how and what students learn about Mathematics. Keywords: Education Mathematics. Curriculum Learned. PISA2003. Differential Item Functioning.

Biografia do Autor

Glauco da Silva Aguiar, Colégio Militar do Rio de Janeiro (CMRJ)
Doutor em Educação. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Professor do Colégio Militar do Rio de Janeiro (CMRJ), Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Maria Isabel Ramalho Ortigão, Universidade do Estado do Rio de Janeiro
D
Publicado
2012-05-16
Seção
ARTIGOS