<b>As Memórias de Lacroix: a instrução pública na França revolucionária, em geral, e o ensino de Matemática, em particular</b>

  • Antonio Vicente Marafioti Garnica UNESP, Bauru-SP-Brasil
  • Maria Laura Magalhães Gomes UFMG
  • Mirian Maria Andrade UFU

Resumo

O artigo – um exame hermenêutico do livro Essais sur l’enseignement en général, et sur celui des mathématiques en particulier, de 1805, de Sylvestre-François Lacroix, enfatizando sua segunda parte, na qual o autor discute seu Curso de Matemática Elementar, uma série de manuais escolares elaborados para a Escola Central das Quatro Nações – tem sua fundamentação ligada à Hermenêutica de Profundidade de Thompson conjugada a procedimentos de investigação textual sugeridos por Genette quanto aos paratextos editoriais. Defende que o livro de Lacroix é uma obra auto-referencial, de cunho claramente autobiográfico, que responde mais aos ideais iluministas da França do Setecentos que às perspectivas do século XIX, quando a obra circulou, tendo sido reeditada por quatro vezes, sob Napoleão, na primeira metade do Oitocentos. Raramente focalizado em trabalhos de pesquisa, o livro – cujas edições estão disponíveis eletronicamente – tem uma única tradução, ainda inédita, para o português. Palavras-Chave: S-F Lacroix (1765-1843). Instrução Pública. Ensino de Matemática. Essais sur l’enseignement en général, et sur celui des mathématiques en particulier. Iluminismo.

Biografia do Autor

Antonio Vicente Marafioti Garnica, UNESP, Bauru-SP-Brasil
Doutor em Educação Matemática pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), Rio Claro, Livredocente pelo Departamento de Matemática da Faculdade de Ciências da Universidade Estadual Paulista (UNESP), Bauru. Docente da Universidade Estadual Paulista (UNESP), Bauru, e dos Programas de Pós-graduação em Educação para a Ciência da Universidade Estadual Paulista (UNESP), Bauru, e em Educação Matemática da Universidade Estadual Paulista (UNESP), Rio Claro, SP, Brasil.
Maria Laura Magalhães Gomes, UFMG
Professora do Departamento de Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.
Mirian Maria Andrade, UFU
Doutora em Educação Matemática pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), Rio Claro. Professora do curso de matemática da Faculdade de Ciências Integradas do Pontal (FACIP), Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Ituiutaba, MG, Brasil.
Publicado
2013-08-10
Seção
ARTIGOS