[1]
L. de Andrade e F. L. de P. Santil, “Gráfico tátil: A possível forma de informação e inclusão do deficiente visual.”, Educ.: Teor. e Prat., vol. 21, nº 37, p. 155-168, dez. 2011.