CIDADE, COMÉRCIO, CONSUMO E LAZER: UMA ANÁLISE A PARTIR DOS SHOPPING CENTERS

  • Carlos Henrique Costa da SILVA UFSCar
  • Jeferson Ricardo Jampietri Leme
  • Joe Andrew Mateus Santos

Resumo

O artigo tem como principal objetivo apresentar um debate inicial e sinalizar para a contradição existente entre o lazer e o consumo nos Shopping Centers brasileiros. Breves considerações sobre a formação, expansão e consolidação do que alguns autores denominam sociedade de consumo foram feitas para apresentar a problemática. Em seguida, com base em Zygmunt Bauman, Jean Baudrillard, Henri Lefebvre e Jofre Dumazedier, discute-se os termos do lazer como necessidade para o ser humano e a sua cooptação pelos Shopping Centers. Ao final, tomando o Shopping Center como uma forma de comércio moderna, debate-se as contradições entre o lazer e o consumo, evidenciando que na gênese destes empreendimentos o lazer aparecia como atividade secundária. Porém, com a consolidação da sociedade de consumo, estas formas do comércio conseguiram cooptar o lazer através do consumo. Atualmente, o Shopping Center é um espaço que se reproduz a partir da contradição entre lazer e consumo, revelando-se um espaço de sociabilidade que ao mesmo tempo gera e permite a exclusão social, impulsionando a segregação. Por fim, realizam-se algumas considerações a respeito da decadência dos Shoppings Centers em Sorocaba.

Biografia do Autor

Carlos Henrique Costa da SILVA, UFSCar
Coordenador do Programa de Pós-graduação em geografia da UFSCar de Sorocaba Doutor em Geografia pela UNESP de Rio Claro
Publicado
2018-12-14
Seção
Artigos