COVID-19 E ESTRUTURAS TERRITORIAIS EM SANTA MARIA, RIO GRANDE DO SUL, BRASIL - 2020/2021

Resumo

O objetivo deste trabalho é analisar a distribuição espacial dos óbitos por COVID-19 na área urbana de Santa Maria, estado do Rio Grande do Sul (RS), Brasil, nos anos de 2020 e 2021. Os dados utilizados foram de julho 31, 2021, com base nas estruturas territoriais e condições socioespaciais do território urbano do município. Para isso, foram selecionadas e mapeadas as principais estruturas territoriais de Santa Maria, RS, como estradas, rodoviárias, hospitais e unidades de saúde, entre outras. Além disso, um índice de privação social foi utilizado para avaliar as condições socioespaciais da área urbana de Santa Maria, RS. Os dados apresentados fornecem elementos que indicam uma relação entre as condições socioespaciais dos bairros e a maior mortalidade em Santa Maria, RS, como já mostraram outros estudos no Brasil e em vários países. Conclui-se que as características do território podem ou não atuar como facilitadores da disseminação da doença.

Biografia do Autor

PEDRO LEONARDO CESAR SPODE, Universidade Federal de Santa Maria

Possui Graduação em Geografia - Licenciatura Plena, pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e Mestrado em Geografia no Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGGEO - UFSM). Atualmente é Doutorando em Geografia (PPGGEO - UFSM), atuando principalmente nos seguintes temas: desigualdades socioespaciais, pobreza urbana, privação social, planejamento territorial, entre outros temas. Membro dos grupos de pesquisa Núcleo de Pesquisa em Geografia da Saúde (NePeGS) e Laboratório de Ensino e Pesquisas em Geografia Humana (LEPGHU). 

MAURÍCIO RIZZATTI, Universidade Federal de Santa Maria

Doutorando em Geografia (Passagem Direta para o Doutorado) pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGGeo) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Possui Mestrado em Geografia pelo PPGGeo UFSM. Licenciado e Bacharel em Geografia pela UFSM. Foi Professor Substituto da Universidade Federal do Pampa - Campus São Gabriel (2020-2021), ministrando as seguintes disciplinas: Cartografia, Fotogrametria, Sensoriamento Remoto, Geoprocessamento, Trabalho de Conclusão de Curso e Estágio Curricular Supervisionado. Foi Professor do Colégio Politécnico da UFSM, ministrando aulas de Geografia para o 3° ano do Ensino Médio (2017, 2018 e 2020). É integrante do Laboratório de Cartografia e pesquisador do Núcleo de Pesquisa em Geografia da Saúde (NePeGS) da UFSM. É colaborador do Observatório de Informações em Saúde da UFSM, sendo responsável pelo mapeamento Intraurbano dos casos confirmados e óbitos da COVID-19 em Santa Maria. Pesquisa e atua na área de Cartografia, Geoprocessamento, Cartografia Escolar e a Teoria das Inteligências Múltiplas, Geotecnologias, Sensoriamento Remoto na Educação Básica; Geografia Física, Geografia Urbana e Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC).

NATÁLIA LAMPERT BATISTA, UFSM

Graduação em Geografia (Licenciatura Plena) pelo Centro Universitário Franciscano. Especialização em Cartografia e Sensoriamento Remoto e em Geografia Populacional, Urbana e Econômica pela Faculdade Metropolitana do Estado de São Paulo (EAD). Mestrado, Doutorado e Pós-doutorado em Geografia pelo Programa de Pós-graduação em Geografia (PPGGeo) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Atualmente é Professora Adjunta no Departamento de Geociências e no Programa de Pós-graduação em Geografia e Coordenadora do Laboratório de Ensino e Pesquisas em Geografia e Humanidades (LEPGHU), da UFSM. É Professora Colaboradora/Permanente no Mestrado Profissional em Ensino de Geografia em Rede Nacional (PROFGEO), no Instituto Federal Catarinense (IFC), Campus Brusque/SC. Tem interesse nas áreas de pesquisa de Ensino de Geografia e Cartografia Escolar; Formação de Professores; Cartografia Temática; e Geografia Urbana. Foi docente de Geografia no Ensino Fundamental na Prefeitura Municipal de Santa Maria/RS.

CARINA PETSCH, Universidade Federal de Santa Maria

Possui graduação em Geografia (Bacharelado) pela Universidade Estadual de Maringá (2011), mestrado em Geografia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2014) e doutorado em Geografia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2018). Em 2017 participou do Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior da CAPES, desenvolvendo seu projeto na Universidade Friedrich Alexander (FAU), na área de Sensoriamento Remoto. Atuou como professora colaboradora da UNIOESTE, campus Francisco Beltrão, lecionando nas disciplinas de Cartografia Geral e Geografia do Brasil para o curso de Geografia,no período de 05/2018 a 03/2019. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Geografia Física, atuando principalmente nos seguintes temas: Antártica, monitoramento de geleiras, Ensino Polar, Geomorfologia glacial, Sensoriamento Remoto e Cartografia. Atua como pesquisadora no Laboratório de Geologia Ambiental (LAGEOLAM) da UFSM e Centro Polar e Climático (CPC) da UFRGS. Atualmente é professora adjunta da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) atuando na área de Geografia Física, Ensino e Cartografia.

Publicado
2022-06-03
Seção
Artigos