A DINÂMICA DO ESPAÇO AGRÁRIO NO MUNICÍPIO DE SANT’ANA DO LIVRAMENTO/RS: DAS SESMARIAS AOS ASSENTAMENTOS RURAIS

  • Marcelo Cervo Chelotti Unemat

Resumo

A consolidação das fronteiras entre o Brasil e o Uruguai tornou-se fundamental para a formação territorial do município de Sant’Ana do Livramento, que, a partir da ocupação portuguesa, passou a ser alicerçado na sesmaria, como possibilidade de acesso à posse da terra. O desenvolvimento de uma pecuária de corte extensiva, associado à industrialização da carne bovina voltada para a exportação, possibilitaram, já no início do século XX, a inserção desse município na divisão internacional do trabalho, através da aplicação de capitais ingleses. Significativas transformações também ocorreram no espaço agrário do munic ípio na década de 70, em função da expansão da modernização da agricultura em direção à Campanha Gaúcha, através da inserção da lavoura moderna do arroz irrigado, da soja e também do cultivo de uvas para a produção de vinhos. Na década de 90 verificaram-se novas transformações em seu espaço agrário, na medida em que foram instalados vinte e um (21) assentamentos rurais no município. Portanto, o que se verifica na atualidade é uma complexa rede de relações em seu espaço agrário, que se moldaram no decorrer de sua produção socioespacial. Palavras-chave: espaço agrário; dinâmica sócio-espacial; Campanha Gaúcha.

Biografia do Autor

Marcelo Cervo Chelotti, Unemat
Mestre em Geografia e professor substituto no Departamento de Geografia da Universidade do Estado de Mato Grosso/Unemat/Campus de Cáceres/MT
Publicado
2007-04-18
Seção
Artigos