TEMPO E DOENÇAS: EFEITOS DOS PARÂMETROS CLIMÁTICOS NAS CRISES HIPERTENSIVAS NOS MORADORES DE SANTA GERTRUDES –SP

  • Sandra Elisa Contri Pitton UNESP
  • Amanda Érica Domingos Unesp

Resumo

Este artigo investiga a temática clima e enfermidades sob a ótica das relações entre doenças que se desenvolvem e ou se agravam sob determinados tipos de tempo atmosféricos, ou seja, as respostas dos seres humanos a variabilidade das condições atmosféricas. Neste sentido buscou-se compreender a relação de prevalência existente entre tipos de tempo e as crises hipertensivas nos residentes urbanos de Santa Gertrudes - SP. Para tanto se fizeram necessárias duas abordagens: Abordagem Climática em que foram analisados os sistemas atmosféricos atuantes na área de estudo durante o segmento temporal selecionado (período seco e chuvoso de 1999 a 2001) e a abordagem das enfermidades momento em que foi considerado o parâmetro clínico morbidade como o mais importante. Os resultados evidenciaram que o comportamento de parâmetros climáticos temperatura do ar, umidade relativa do ar e dias secos exercem uma determinação natural na incidência do número de crises hipertensivas em pessoas com mais de 40 anos, independente do sexo. Palavras-chave: bioclimatologia humana, condições atmosféricas, enfermidade, morbidade.

Biografia do Autor

Sandra Elisa Contri Pitton, UNESP
Professora do Departamento de Geografia – IGCE – UNESP - Campus de Rio Claro - SP.
Amanda Érica Domingos, Unesp
Pós Graduanda (mestrado) Geografia (área de concentração Organização do Espaço), IGCE –UNESP - Campus de Rio Claro – SP.
Seção
Artigos