<b>Comportamento fisiológico de sementes de<i> Cordia verbenacea </i>DC sob diferentes substratos, temperaturas e luz

  • Tatiana Marquini Machado Unesp, Botucatu

Resumo

O interesse na propagação da Cordia verbenacea é devido aos seus metabólicos secundários de importância farmacológica, sendo eles o α-humuleno e β-cariofileno. O objetivo do trabalho foi determinar a curva de embebição, avaliar a influência da luz e da temperatura na germinação e do substrato na emergência de plântulas desta espécie. O trabalho foi realiza do na Universidade Estadual Paulista (UNESP) – Campus Botucatu, com sementes sedidas pelo Centro de Pesquisa Químicas, Biológicas e Agronômicas (CPQBA) de Campinas. Determinou-se a curva de embebição pelo método da semente submersa, com 8 repetições de 100 sementes. O teste de germinação foi realizado sob diferentes temperaturas (15, 20, 25, 30, 35 e 40°C), iluminação constante e ausência de iluminação, com 4 repetições de 100 sementes em fatorial 6X2 . O teste de emergência foi conduzido com três substratos: areia; areia e substrato comercial (1:1) e substrato comercial, com 4 repetições de 100 sementes. Os resultados foram avaliados pelo teste Tukey a 5%, sendo os dados da emergência transformados em raiz de X + 0,5. Conclui-se que as sementes em contato com a água superam o estágio I da curva de embebição em 1 hora, germinam sob luz constante, sob temperatura entre 15 a 30 °C e o substrato comercial é indicado para a emergência.

Biografia do Autor

Tatiana Marquini Machado, Unesp, Botucatu
Possui graduação em Biologia pela Universidade do Sagrado Coração (2005). Mestre em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), na área de Fisiologia do Desenvolvimento Vegetal. Doutoranda em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Tem experiência na área de Ciências Biológicas, com ênfase em Botânica.
Publicado
2013-03-14
Seção
Artigos originais = Original Articles