PROPOSTA DE ZONEAMENTO AMBIENTAL PARA A REGIÃO POLÍTICA-ECONÔMICA DO VALE DO TAQUARI - RS

  • Rafael Rodrigo ECKHARDT Centro Universiátio UNIVATES
  • Claudete REMPEL Centro Universiátio UNIVATES
  • Teresinha GUERRA Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Maria Luiza Porto Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Sensoriamento Remoto. Geoprocessamento. Paisagem. Uso do Solo Zoneamento Ambiental. Vale do Taquari

Resumo

Os mapas historicamente têm sido utilizados como fonte primária de informação, sendo um instrumento visual da percepção humana e um meio para obter o registro e a análise da paisagem. Neste contexto, este artigo procura evidenciar a utilização de sensoriamento remoto e técnicas de geoprocessamento com vistas à elaboração do zoneamento ambiental do Vale do Taquari, Rio Grande do Sul, região formada por 37 municípios. A base cartográfica utilizada para gerar os mapas temáticos foi retirada das cartas topográficas elaboradas pelo Serviço Geográfico do Exército, na escala 1/50.000. Foram utilizadas imagens do satélite Landsat para gerar o uso e cobertura do solo. O zoneamento ambiental possibilitou evidenciar a falta de planejamento do uso e cobertura do solo. Os dados resultantes permitem verificar a existência de 71,36% da região sem risco ambiental, 20,52% com risco e 5,78% em conflito com a legislação.

Biografia do Autor

Rafael Rodrigo ECKHARDT, Centro Universiátio UNIVATES
Mestre em Sensoriamento Remoto e Coordenador do Núcleo de Geoprocessamento do Centro Universitário UNIVATES
Claudete REMPEL, Centro Universiátio UNIVATES
Mestre em Sensoriamento Remoto e Doutoranda em Ecologia pelo Instituto de Biociências da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS
Teresinha GUERRA, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Programa de Pós-Graduação em Ecologia do Instituto de Biociências da UFRGS
Maria Luiza Porto, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Programa de Pós-Graduação em Ecologia do Instituto de Biociências da UFRGS
Publicado
2009-04-10
Seção
ARTIGOS ORIGINAIS