PROVENIÊNCIA DOS METASSEDIMENTOS DO GRUPO ARAXÁ NA REGIÃO DE RIO QUENTE - CALDAS NOVAS.

  • Guillermo Rafael Beltran Navarro UNESP
  • Antenor Zanardo UNESP
  • Cibele Carolina Montibeller UNESP
  • Fabiano Tomazini da Conceição UNESP
  • Claudio de Morisson Valeriano UERJ
  • Thaís Güitzlaf Leme UNESP
  • Luiz Sérgio Amarante Simões UNESP
Palavras-chave: metassedimentos, Grupo Araxá, Goiás, Faixa Brasília.

Resumo

RESUMO: Na região de Caldas Novas – Rio Quente Goiás, afloram metassedimentos (psamíticos, psamo-pelíticos e pelíticos) relacionados ao Grupo Araxá. Estes metassedimentos possuem razões La(N)/Lu(N), La/Sc, Th/Sc, La/Co, Th/Co e Cr/Th, que sugerem que a fonte destes metassedimentos rochas são rochas félsicas provenientes de arcos magmáticos. As idades modelo obtidas variam entre 1,22 e 1,86 Ga sugerem duas fontes para os metassedimentos, uma fonte juvenil neoproterozoica e outra mais velha relacionada a rochas paleoproterozoicas, como observado em outras regiãos da Faixa Brasília. As idades U/Pb obtidas em zircões para os metassedimentos da região são predominantemente neoproterozoicas (<1,0 Ga), com contribuições restritas de fontes mais velhas (>1,0 Ga). A congruência destes dados geocronológicos com as assinaturas geoquímicas das rochas analisadas permite afirmar que grande parte dos metassedimentos do Grupo Araxá na região tiveram como fonte rochas formadas em arcos magmáticos neoproterozoicos, implicando no desenvolvimento de bacias fore arc, nas quais a sequência estudada provavelmente pode ter sido depositada.
Publicado
2017-10-18
Seção
Artigos