MODELO HIDROGEOLÓGICO DO SISTEMA AQUÍFERO URUCUIA NA BACIA DO RIO GRANDE (BA)

  • Roger Dias Gonçalves Laboratório de Estudo de Bacias, Universidade Estadual Paulista, UNESP, Av. 24 A nº 1515, Bela Vista, Rio Claro (SP), CEP 13506-900. http://orcid.org/0000-0002-3088-1000
  • Hung Kiang Chang Universidade Estadual Paulista, UNESP, Av. 24 A, nº 1515, Bela Vista, Rio Claro (SP), CEP 13506-900.
Palavras-chave: Simulação numérica, Sistema Aquífero Urucuia, rio Grande, Feflow, Elementos Finitos

Resumo

O Sistema Aquífero Urucuia representa um manancial estratégico no oeste baiano. Seu fluxo de base é responsável pela vazão dos principais afluentes da margem esquerda do rio São Francisco no período de estiagem, entre eles o rio Grande, seu principal afluente na Bahia. Este trabalho foca na simulação numérica em regime permanente, utilizando o método dos elementos finitos empregado no algoritmo computacional FEFLOW. Os resultados da simulação numérica evidenciaram um modelo conceitual simplificado que inclui: fluxo nulo nos limites do platô e na base do aquífero; descarga de água subterrânea nas drenagens que cortam o aquífero e que este é livre em toda a sua extensão; uma discrepância hidráulica entre as porções oeste e leste e heterogeneidade hidráulica desta última, sendo distribuídas quatro grandes zonas de condutividade hidráulica variando de 1x10-5 m/s a 5x10-4 m/s; e taxas de recarga média variando aproximadamente de 20% a 25% da precipitação média nas zonas de recarga. O balanço hídrico calculado apresenta um valor de saída de 2,37x107m³/dia. O estudo confirma a grande parcela de contribuição do Sistema Aquífero Urucuia para a vazão dos rios e a influência do embasamento na porção oeste, com provável drenança de uma parcela do fluxo do aquífero.
Publicado
2017-10-18
Seção
Artigos