USO DE PÓ DE BASALTO E ROCHA FOSFATADA COMO FERTILIZANTE NATURAL EM SOLOS LIXIVIADOS

  • Rafael Gomes da Silveira Toscani Universidade de Brasília. Instituto de Geociências
  • José Eloi Guimarães Campos Universidade de Brasília
Palavras-chave: Fertilização alternativa, pó de rocha, basalto, fosforito, calagem

Resumo

A rochagem consiste na utilização de pós de rocha como fertilizante natural para a agricultura. No experimento utilizaram-se pós de fosforito, basalto e dolomito fosfatado que foram comparados com os fertilizantes solúveis (40N, 30P, 10K) e o Latossolo controle. Construíram-se doze parcelas de plantio sobre o Latossolo Vermelho distrófico com diferentes proporções e misturas dos insumos, sendo testada também a necessidade ou não da calagem, durante o plantio de feijão vagem (Phaseolus vulgaris L.). Foram feitas lâminas petrográficas, análises de fertilidade, difração de raios-X, fluorescência de raios-X, e medições da área foliar. Com isso, por meio de um ano de estudo, notou-se que a rochagem adicionou ao solo fluorapatita, vermiculita, montmorilonita, dolomita, anortita, augita e albita - minerais fontes de fosfato, cálcio, sódio e magnésio. Ainda, verificou-se que nas parcelas com uso exclusivo de rochagem houve uma disponibilidade e/ou lixiviação dos óxidos de potássio, fósforo e enxofre 2,14 vezes maior que no uso da rochagem e calagem. Entretanto, as respostas agronômicas foram mais interessantes quando se utilizou em conjunto a calagem devido ao melhor equilíbrio iônico. Por fim, a rochagem apresentou efeito residual e aumentou pH e saturação por bases e diminuiu a saturação por alumínio, matéria orgânica e carbono.

Biografia do Autor

Rafael Gomes da Silveira Toscani, Universidade de Brasília. Instituto de Geociências
geólogo pela Universidade de Brasília, com pós graduação em Gestão Ambiental e Desenvolvimento Sustentável e com mestrado em Geologia/Geoquímica sobre uso de pós de rocha na agricultura tropical.
José Eloi Guimarães Campos, Universidade de Brasília
Professor efetivo da Universidade de Brasília
Publicado
2017-10-18
Seção
Artigos