A GEOPHYSICAL ANALYSIS OF THE CONCEIÇÃO RIVER REGION QUADRILÁTERO FERRÍFERO, BASED ON FIELD, PETROGRAPHIC, AERIAL IMAGES AND AIRBORNE DATA

Análise geofísica da região do Rio Conceição, Quadrilátero Ferrífero, associada a dados de campo, petrográficos e de imagens aéreas

  • Jorge RONCATO Universidade Federal de Minas Gerais. Instituto Geociências.
  • Ana Luiza de CARVALHO ALMEIDA Universidade Federal de Minas Gerais
  • Bárbara MACEDO Universidade Federal de Minas Gerais
  • Matheus OLIVEIRA Universidade Federal de Minas Gerais

Resumo

A região do Quadrilátero Ferrífero, sudeste do Craton de São Francisco, é uma das principais províncias metalogênicas do Brasil. Trabalho de campo, petrografia, geofísica aérea de alta resolução (dados de espectrometria magnética e de raios gama) e imagens aéreas nos permitiram produzir um novo mapa na escala 1: 25.000, com importantes contribuições no detalhamento de litotipos, no entendimento das estruturas geológicas e nas relações entre as diferentes unidades estratigráficas. A interpretação de dados geofísicos aéreos, integrados a observações estruturais e litológicas de campo, foi empregada com sucesso na criação da estrutura lito-estrutural em um terreno Proterozóico e Arqueano pouco exposto. Dados de espectrometria de raios gama auxiliaram no processo de mapeamento em áreas com extensa cobertura de regolito, incluindo cinturões erosivos. A imagem derivada total magnética revelou estruturas regionais e locais. Além disso, nosso trabalho detalha as unidades de ocorrência dos Supergrupos Rio das Velhas e Minas. A cobertura aérea das formações Mindá e Santa Quitéria aumentou fortemente, assim como a área da Formação Cauê foi melhor definida. O novo mapa geológico oferece muitas melhorias em relação ao mapa pré-existente. Novas fácies e estruturas litológicas foram identificadas e outras se tornam mais visíveis e os limites litológicos são refinados e/ou confirmados.

Biografia do Autor

Jorge RONCATO, Universidade Federal de Minas Gerais. Instituto Geociências.

Universidade Federal de Minas Gerais. Instituto Geociências.

Publicado
2020-05-19