GEOLOGIA E GEOQUÍMICA DAS ROCHAS METABÁSICAS DO SUPERGRUPO AÇUNGUI, À NORTE DA ZONA DE CISALHAMENTO QUARENTA OITAVA, SUL DO ESTADO DE SÃO PAULO

Geology and geochemistry of metabasic rocks from Açungui Supergroup, North of Quarenta Oitava Shear Zone, South of São Paulo State

  • Otávio Augusto Ruiz Paccola VIEIRA Programa de Pós-Graduação em Geociências- IGCE- UNESP- Universidade Estadual Paulista
  • Antonio Misson GODOY Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Instituto de Geociências e Ciências Exatas de Rio Claro, Departamento de Petrologia e Metalogenia
  • George Luiz LUVIZOTTO Departamento de Petrologia e Metalogenia- IGCE- UNESP- Universidade Estadual Paulista
  • Jonas Menezes ZENERO Programa de Pós-Graduação em Geociências- IGCE- UNESP- Universidade Estadual Paulista

Resumo

As rochas ortoderivadas de composição básicas e ultrabásicas são constituídas por anfibolitos, metabasitos e metaultrabásitos de idade meso- a neoproterozoica, que se localizam no sudoeste do estado de São Paulo, na porção sul do Cinturão Ribeira e norte do Terreno Apiaí. Encontram-se inseridas em rochas da sequência metavulcanossedimentares do Supergrupo Açungui, especificamente na Formação Água Clara e no Grupo Itaiacoca. A paragênese mineral principal é constituída de ferrotschermakita- ferrohornblenda- magnesiohornblenda ± oligoclásio/andesina, representando o ápice do metamorfismo regional progressivo M1, de 611°C a 621°C de temperatura e 6,5 kbar a 7,3 kbar (±0,6) (Fácies anfibolito médio); e uma paragênese mineral de actinolita/tremolita ± albita, do retrometamorfismo regional M3 (fácies xisto verde baixo a médio). Dados geoquímicos composicionais classificam as rochas como gabro, basanito e picrito, sub alcalinos de baixo potássio a alcalinos, Fe-toleíticos a Mg-toleíticos, com leve tendência à basaltos komatiíticos. Já os dados geotectônicos, corroborados pelo comportamento dos elementos traços e dos ETRs, indicam três assinaturas principais para os grupos anfibolíticos: rochas básicas toleíticas a komatiíticas associadas a cadeia mesoceânicas (MORB), com possível interação da crosta na fase de subducção; rochas ultrabásicas alcalinas de ilha oceânica (OIA); e basaltos toleíticos de arco de ilha. Portanto, os magmatismos estão correlacionados ao estágio inicial de abertura de bacia ou ao início de fechamento à fase inicial de natureza toleítica de fundo oceânico, associado a basaltos alcalinos de ilha oceânica.

Publicado
2020-05-19