EVOLUÇÃO TECTONOESTRATIGRÁFICA DA FORMAÇÃO BARRA VELHA NA ÁREA DOS CAMPOS DE LAPA E SAPINHOÁ, BACIA DE SANTOS – BRASIL.

Tectonostratigraphic evolution of Barra Velha Formation in the Lapa and Sapinhoá oil fields, Santos Basin - Brazil

  • Suzana Faria Chula RIBEIRO DA SILVA
  • Jorge de Jesus Picanço de FIGUEIREDO
  • Pedro Henrique COELHO
  • Leonardo BORGHI Universidade Federal do Rio de Janeiro

Resumo

A seção Sedimentar da chamada fase pós-rifte na bacia de Santos, Brasil, é constituída pelas formações Barra Velha e Ariri. A formação Barra Velha, composta essencialmente por carbonatos interpretados como microbiais e que é o principal reservatório para hidrocarbonetos no play pré-sal, é o objeto de pesquisa deste trabalho. Durante a tafrogenia cretácea da porção oeste do supercontinente Gondwana que culminou com sua ruptura e a geração dos continentes Sulamericano e Africano a bacia de Santos, inserida neste contexto, foi submetida a processos tectonofísicos que definiram três fases de evolução tectônica e estratigráfica bem distintas: estiramento litosférico, afinamento litosférico e exumação do manto. A formação Barra Velha foi depositada na fase de afinamento litosférico em um contexto tectônico misto que combinou subsidência termal generalizada da bacia com subsidência mecânica localizada devido a algumas falhas da fase rifte permanecerem ativas durante toda a chamada fase pós-rifte.

Biografia do Autor

Leonardo BORGHI, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Departamento de Geologia. CCMN.

Avenida Athos da Silveira Ramos, 274 -

Cidade Universitária, Ilha do Fundão Rio de Janeiro – RJ

Publicado
2021-03-24