OCORRÊNCIA DE ROCHAS SEDIMENTARES CARBONÁTICAS DO CRETÁCEO SUPERIOR NO SUBSTRATO DA CIDADE DE FORTALEZA E SUAS POSSÍVEIS IMPLICAÇÕES ESTRATIGRÁFICAS E ESTRUTURAIS

Occurrence of Upper Cretaceous carbonate sedimentary rocks underlying Fortaleza City (Brazil) and its possible stratigraphic aand structural implications

Resumo

As bacias da margem equatorial norte são alvos de pesquisa envolvendo hidrocarbonetos e sua produção. Destacam-se estudos realizados na Bacia Potiguar, Paracuru e mais recentemente na Sub-Bacia Mundaú. Esta última foco desta pesquisa pôde ser amostrada pela primeira vez na parte onshore, onde calcários foram descobertos devido a sondagem do Metrofor e construção de poço tubular profundo. São dois furos de sondagem SR-103+020 e SM-13, o poço do Condomínio Essenza, todos na zona urbana. Os dados inéditos buscam correlacionar a sedimentação carbonática do Cretáceo Superior onde as amostras seriam correlatas a Formação Jandaíra (Bacia Potiguar). Petrografia, micropaleontologia e nanofósseis foram avaliados e dados de poços ANP e Siagas/CPRM foram averiguados no trecho entre o Graben Cascavel. Não foram encontradas camadas de calcários no trecho do graben, nas amostras estudadas nos furos foram descritos como calcarenitos e wackestones. Foram identificados microfósseis como bivalves, ostracoides, foraminíferos, algas, briozoários; além de 49 taxons de nanofósseis. Os dados permitiram montar um arranjo de sedimentação do Cretácio Superior englobando desde Cenomaniano até o Mastrichtiano onde poderiam ocorrer dois modelos: sedimentação carbonática de única plataforma (contínua ou descontínua) nas bacias Potiguar e Ceará ou sedimentação carbonática separada pelo Graben Cascavel onde a Bacia Potiguar e Ceará não possuíam conexão, porém sincronia na sedimentação.

Publicado
2021-08-05