MODELAGEM DA SUSCEPTIBILIDADE DE ESCORREGAMENTOS UTILIZANDO O MÉTODO DE PESOS DE EVIDÊNCIA EM UMA REGIÃO MONTANHOSA DE CLIMA TROPICAL

Modelling landslide susceptibility using the weight of evidence method in a tropical mountains region

  • João Paulo de Carvalho ARAÚJO Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • César Falcão BARELLA Universidade Federal de Ouro Preto
  • Nelson Ferreira FERNANDES Universidade Federal do Rio de Janeiro

Resumo

Escorregamentos são fenômenos naturais que ocorrem em regiões montanhosas e podem causar grandes catástrofes socioeconômicas. A identificação das áreas susceptíveis a escorregamentos é uma etapa essencial da gestão de riscos e auxilia a implementação de projetos que visam mitigar, ou mesmo evitar os danos causados por estes eventos. Este trabalho avalia a susceptibilidade a escorregamentos translacionais pelo método estatístico bivariado de Pesos de Evidência, assim como o controle individual de oito fatores predisponentes em duas bacias piloto no maciço da Tijuca, na cidade do Rio de Janeiro (RJ). Cinco modelos de susceptibilidade foram produzidos pela combinação dos fatores predisponentes e tiveram sua capacidade preditiva testada pelo cálculo da área abaixo da curva (AAC). A maior parte dos escorregamentos mapeados ocorreram nas cabeceiras de drenagem das bacias piloto, nas encostas com ângulo entre 34° e 51°, sustentadas principalmente por intrusões graníticas e coberta por floresta preservada. O mapa final possui cinco classes de susceptibilidade e demonstrou ser eficaz na previsão dos escorregamentos. O método é robusto e evita subjetividades, ao mesmo tempo que é bastante versátil. Apesar de pouco utilizado no Brasil, o método é apropriado ao contexto de complexa geodiversidade e carência de dados geotécnicos a nível regional e local.

Biografia do Autor

João Paulo de Carvalho ARAÚJO, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Bacharel em Geografia (2009) pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF); licenciado em Geografia (2017) pela Universidade Cândido Mendes (UCAM- RJ); Mestre (2012) e Doutor (2018) em Geografia pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPGG-UFRJ). Doutorado sanduíche no exterior, pela Universidade da Califórnia, em Berkeley - Department of Earth and Planetary Science - orientado pelo Professor Willian E. Dietrich. Atualmente, desenvolvendo projetos de pesquisa no Laboratório de Monitoramento e Modelagem Pedogeomorfológica (LAMPEGE), no Departamento de Geografia da UFRJ e no Centro de Pesquisa e Estudos sobre Desastres (CEPEDES), no departamento de Geologia da UERJ. Experiência em Geociências, com ênfase em Geomorfologia, Cartografia, Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto. Principais temas de atuação: Modelagem matemática de sistemas ambientais - evolução de relevo e modelagem de espessura de solos, modelagem hidrogeomorfológica e previsão de movimentos de massa.

César Falcão BARELLA, Universidade Federal de Ouro Preto

Possui graduação em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), mestrado e doutorado em Geotecnia pelo Núcleo de Geotecnia da Escola de Minas (NUGEO). Tem atuado em temas relacionados às Ciências Ambientais e à Geotecnia, com ênfase em Geomática, Cartografia Geotécnica e Geoambiental, Análise de Risco Geológico-Geotécnico, Desastres Naturais e Ordenamento Territorial. Atualmente é professor na Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), trabalhando junto ao Departamento de Engenharia Ambiental e ao Programa de Pós-Graduação em Geotecnia.

Nelson Ferreira FERNANDES, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Possui graduação em Geologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1984), mestrado em Geologia de Engenharia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1990), doutorado em Geomorfologia na Universidade da Califórnia em Berkeley (1994) e pós-doutorado no MIT (Earth, Atmospheric and Planetary Sciences; 2014/15). Atualmente é professor titular no Depto. de Geografia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Geomorfologia, Pedologia e Hidrologia, atuando principalmente nos seguintes temas: movimentos de massa, hidrologia e erosão dos solos, processos geomorfológicos e modelagem de sistemas ambientais.

Publicado
2021-03-24