LAMA DE BENEFICIAMENTO DE ROCHAS ORNAMENTAIS PROCESSADAS NO ESPÍRITO SANTO: COMPOSIÇÃO E APROVEITAMENTO

Dimension stone processing sludge from the state of Espírito Santo: composition and utilization

  • Mirna Aparecida NEVES Universidade Federal do Espírito Santo. Departamento de Geologia/CCA/UFES
  • Ana Candida de Almeida PRADO Universidade Federal do Cariri
  • Rodson de Abreu MARQUES Universidade Federal do Espírito Santo
  • Arthur Bazoni da FONSECA Universidade Federal do Espírito Santo
  • Mary Ester Santiago MACHADO Universidade Federal do Espírito Santo

Resumo

A produção de rochas ornamentais para revestimento gera um resíduo de granulação muito fina, a partir do descarte da Lama de Beneficiamento de Rochas Ornamentais (LBRO), cuja composição indica potencial de utilização em diversos setores produtivos. Neste trabalho, apresenta-se um estudo da variabilidade composicional da LBRO e de diferentes tipos de rocha, com o objetivo de identificar os fatores controladores da composição dos resíduos gerados pela serragem de blocos. Foram coletadas 35 amostras de rocha e da LBRO produzida durante a serragem dessas rochas. As amostras foram coletadas diretamente da descarga do tear em empresas de Cachoeiro de Itapemirim (ES), um dos principais polos produtores do Estado do Espírito Santo. O mapeamento do processo produtivo das empresas permitiu dimensionar a quantidade de resíduos que é gerada por bloco serrado e mostrou a importância do controle de perdas. A comparação entre rochas e LBRO evidenciou íntima semelhança entre a composição química dessas matrizes, com exceção de alguns elementos como ferro e cálcio, que são acrescentados a partir dos insumos de beneficiamento em teares convencionais. As amostras foram agrupadas em cinco conjuntos com potencial de uso em cosméticos, aplicação no solo, fabricação de cerâmica, uso na construção civil ou simplesmente como filler.

Biografia do Autor

Mirna Aparecida NEVES, Universidade Federal do Espírito Santo. Departamento de Geologia/CCA/UFES

Universidade Federal do Espírito Santo. Câmpus de Alegre.

Departamento de Geologia/CCA/UFES

Ana Candida de Almeida PRADO, Universidade Federal do Cariri

Possui graduação em Engenharia de Materiais pela Universidade Federal de São Carlos (1999), mestrado e doutorado em Geologia Regional pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2003 e 2007, respectivamente). É professora na Universidade Federal do Cariri no curso de Engenharia de Materiais, onde já exerceu os cargos administrativos de vice-coordenadora (2010 a 2012) do curso e Pró-reitora de Ensino dessa Universidade (2013 a 2016). Na pesquisa, se dedica à área de Engenharia de Materiais e Metalúrgica, com ênfase em Materiais Cerâmicos, atuando principalmente nos seguintes temas: argilo-minerais, matérias-primas cerâmicas, placas cerâmicas para revestimento, processamento cerâmico, minerais industriais, reaproveitamento de resíduos sólidos e ensino de engenharia.

Rodson de Abreu MARQUES, Universidade Federal do Espírito Santo

Possui graduação em Geologia pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Mestrado e Doutorado em Tectônica, Petrologia e Recursos Minerais (Programa de Pós-graduação em Análise de Bacias e Faixas Móveis) pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e especialização em Docência no Ensino Superior pela Faculdade São Gabriel da Palha (ES). Atualmente é Professor Adjunto III do curso de Geologia da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e curador da coleção de Geologia do Museu de História Natural do Sul do Estado do Espírito Santo (MUSES). Atua na área de Cristalografia, Mineralogia, Petrologia Magmática, Petrologia Metamórfica e ensino em geociências.

Arthur Bazoni da FONSECA, Universidade Federal do Espírito Santo

Geólogo formado pela Universidade Federal do Espírito Santo. Atua principalmente nos seguintes temas: Rochas Ornamentais, Sedimentologia, Modelagem Geológica e Estratigrafia.

Mary Ester Santiago MACHADO, Universidade Federal do Espírito Santo

Possui graduação em Geologia pela Universidade Federal do Espírito Santo (2013).

Publicado
2021-03-24