ESTUDO DE MEIO REATIVO PARA BARREIRAS REATIVAS PERMEÁVEIS (BRP): ENSAIOS LABORATORIAIS

Study of reactive medium for permeable reactive barriers (PRB): laboratory experiments

  • Liana Carolina CARVALHO ROCHA Universidade de São Paulo, Escola de Engenharia de São Carlos (USP-EESC)
  • Lázaro Valentin ZUQUETTE Escola de Engenharia de São Carlos/Professor Titular https://orcid.org/0000-0003-4053-1976

Resumo

Esse manuscrito apresenta resultados de estudos laboratoriais para avaliar a adequabilidade de zeólitas como meio reativo de Barreiras Reativas Permeáveis (BRPs), em 3 faixas granulométricas (4,0x10-4 a 1,0x10-3 m, 1,0x10-3 a 2,0x10-3 m e 1,0x10-3 a 3,0x10-3 m). Estudos foram desenvolvidos por meio da caracterização física, química, mineralógica, permeabilidade e de sorção. A zeólita caracterizada é da espécie Clinoptilolita, com peso específico dos sólidos de 22,87 kN/m3, razão Si/Al de 6,8 e capacidade de troca catiônica de 180 cmolc/kg. Os diferentes arranjos volumétricos das partículas geraram valores de peso específico aparente seco de 10,01 a 11,00 kN/m3 e condutividades hidráulica saturada de 1x10-5 a 3x10-4 m/s, o que compatibiliza os arranjos com diferentes meios geológicos. Em termos de sorção, a isoterma do tipo Langmuir ajusta com r2 de 0,997 e, quanto a cinética de adsorção, o comportamento ocorre por meio do compartilhamento de elétrons entre zeólita e soluto, com coeficientes de reação de primeira ordem variando de 0,06 a 0,4h-1 em função do tempo de percolação. Os resultados mostram que as zeólitas nas faixas granulométricas estudadas são adequadas para uso como meio reativo de BRP em espessuras economicamente viáveis para áreas contaminadas inseridas em materiais geológicos relativos à Formação Botucatu.

Biografia do Autor

Lázaro Valentin ZUQUETTE, Escola de Engenharia de São Carlos/Professor Titular

Possui graduação em Geologia pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1978), mestrado em Geotecnia pela Escola de Engenharia de São Carlos-USP (1981) e doutorado em Geotecnia pela Escola de Engenharia de São Carlos-USP (1987). Atualmente é professor titular da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Geologia de Engenharia e Ambiental, e Geotecnia Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: Mapeamento Geotécnico, Geotecnia Ambiental, Riscos Geológicos e Geotécnicos, Poluição de Águas e Solos, Geologia de Engenharia estudos de áreas degradadas. Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Geotecnia da EESC/USP de 2002 até o final de 2010,e atua como assessor do CNPq, CAPES, FAPESP, FAPERJ e em outras entidades de apoio à ciência. Membro titular da ACIESP. Chefe do Departamento de Geotecnia, da Escola de Engenharia de São Carlos, da Universidade de São Paulo de 2011 a 2013. Co-editor dos periódicos Geotecnia da SPG e do Soils and Rocks da ABMS durante o período 2010 a 2011.

Publicado
2020-12-19