MAPEAMENTO DO POTENCIAL DE CONTAMINAÇÃO DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS E SUPERFICIAIS POR AGROTÓXICOS NO NW DO RIO GRANDE DO SUL

Mapping potential contamination of groundwater and surface water by pesticides in the Northwest of Rio Grande do Sul

  • Caroline Emiliano SANTOS Universidade Federal de Santa Maria
  • Malva Andrea MANCUSO Universidade Federal de Santa Maria
  • Marcos TOEBE Universidade Federal de Santa Maria
  • Tariana Lissak SCHULLER Universidade Federal de Santa Maria

Resumo

Neste estudo, foi avaliado o potencial de contaminação das águas subterrâneas pelo índice de GUS, das águas superficiais pelo método de GOSS, e de adsorção e mobilidade, pelo método AF/RF (Fator de Atenuação / Fator de Retardo). Este estudo pretende contribuir com a identificação das substâncias químicas que devem ser priorizadas pelos órgãos públicos no monitoramento ambiental da qualidade das águas. Assim, estruturada uma base de dados contendo as principais culturas e os tipos e quantidades de agrotóxicos aplicados em 2018, nas áreas agrícolas de 25 municípios do noroeste rio-grandense. A partir dessa base, foram identificados os dez agrotóxicos mais utilizados, sendo estes: glifosato; dicloreto de paraquate; atrazina; mancozebe; 2,4-D; simazina; imidaclorprido; acefato; trifloxistrobina e protioconazol. O glifosato, dicloreto de paraquate, atrazina, acefato, trifloxistrobina, imidaclorprido, simazina e protioconazol apresentaram potencial para contaminar as águas superficiais (método de GOSS). A Atrazina, 2,4-D, imidaclorprido, simazina e protioconazol têm potencial para lixiviar e atingir as águas subterrâneas (índice de GUS). O glifosato, dicloreto de paraquate, mancozebe, acefato, trifloxistrobina, imidaclorprido e protioconazol apresentaram alta capacidade de adsorção ao solo (RF) e o dicloreto de paraquate, glifosato, acefato, trifloxistrobina e protioconazol apresentam potencial muito baixo de lixiviação para as águas (AF).

Biografia do Autor

Caroline Emiliano SANTOS, Universidade Federal de Santa Maria

Universidade Federal de Santa Maria. Rua Sete de Setembro, s/n/ - Frederico Westphalen, RS

Malva Andrea MANCUSO, Universidade Federal de Santa Maria

Possui Pós Doutorado pela Universidad Nacional de La Plata - UNLP (Argentina), (2018 a 2019). Pós Doutorado pelo Laboratório Nacional de Engenharia Civil - LNEC (Portugal) com financiamento da Fundação para a Ciência e Tecnologia - FCT (Portugal), de 2008 a 2012. Doutora em Geociências (Recursos Minerais e Hidrogeologia) pelo Instituto de Geociências da USP (Brasil), em 2002. Mestre em Geociências (Recursos Minerais e Hidrogeologia) pelo Instituto de Geociências da USP (Brasil), em 1996. Bacharel em Geografia pela UFF (Brasil), em 1992. Professora do Programa de Mestrado e Doutorado em Engenharia Ambiental, desde 2015 e do Programa de Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental da UFSM, desde 2018. Professora Associada do Departamento de Engenharia e Tecnologia Ambiental da Universidade Federal de Santa Maria (Rio Grande do Sul, Brasil) (2012 - ). Pesquisadora do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo S.A. - IPT, de 1999 a 2010. Foi coordenadora do Curso Eng. Ambiental e Sanitáira, de 2014 a 2015; e chefe do Departamento de Engenharia e Tecnologia Ambiental da UFSM de 2016 a 2017. É coordenadora de convênios internacional com a UNAM (Universidade Autônoma do México) e representante Institucional do Comitê de Águas da UFSM no âmbito da Associação de Universidades do Grupo Montevidéu - AUGM. É líder do grupo de pesquisa CNPQ em Hidrodinâmica Ambiental. Atualmente orienta pesquisas na área de modelos numéricos (MODFLOW, MODPATH, SEAWATER, etc.) e ferramentas de SIG aplicados à hidrogeologia e estudos de conexão hídrica águas superficiais-águas subterrâneas em zonas costeiras e ecossistemas de banhados. Orienta projetos na temática de áreas agrícolas contaminadas.

Marcos TOEBE, Universidade Federal de Santa Maria

Realizei graduação em Administração e graduação, mestrado e doutorado em Agronomia com ênfase em produção vegetal, na Universidade Federal de Santa Maria. Fui Professor Adjunto da Universidade Federal do Pampa, campus de Itaqui-RS, na área de Estatística e Experimentação Agrícola entre 2013 e 2017, tendo ministrado aulas nos cursos de Graduação em Agronomia, Bacharelado Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia, Ciência e Tecnologia de Alimentos e Engenharia de Agrimensura. Fui coordenador do curso de Agronomia, membro da Comissão Local de Pesquisa da Unipampa - campus Itaqui, tutor do Programa de Educação Tutorial PET AGRO e líder do Grupo de Pesquisa em Estatística e Experimentação Agronômica - GPEEA (UNIPAMPA/UFSM). Realizei novo concurso público tendo sido aprovado com média final 9,78 e atualmente sou Professor Adjunto da Universidade Federal de Santa Maria nas áreas de Estatística, Experimentação Agrícola e Melhoramento Vegetal junto ao Departamento de Ciências Agronômicas e Ambientais. Sou professor permanente nos dois programas de pós-graduação da UFSM-FW (PG Agronomia - Agricultura e Ambiente - Mestrado e PG em Ciência e Tecnologia Ambiental - Mestrado), membro do corpo editorial de duas revistas científicas, revisor de periódicos e de projetos de fomento nas ciências agrárias, com 86 artigos publicados, 180 trabalhos em congressos científicos e 27 projetos conduzidos e/ou em andamento. As principais atividades de pesquisas em andamento são relacionadas à planejamentos experimentais, modelos biométricos aplicados ao melhoramento de plantas e modelagem de crescimento e desenvolvimento de culturas agrícolas e plantas de cobertura em áreas de várzea e de coxilha. 

Tariana Lissak SCHULLER, Universidade Federal de Santa Maria

Graduada em Engenharia Ambiental e Sanitária
Pós Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho

Pós Graduação em Ciência e Tecnologia Ambiental

Publicado
2022-02-02