GEOCRONOLOGIA U-Pb E Lu-Hf EM ORTOGNAISSES DA REGIÃO DE ESPERA FELIZ (MG): CONTRIBUIÇÃO A EVOLUÇÃO CRUSTAL DO EMBASAMENTO RIACIANO NO LIMITE DOS ORÓGENOS RIBEIRA E ARAÇUAÍ

U-Pb and Lu-Hf geochronology of orthogneisses from Espera Feliz region (MG): contribution to the Rhyacian evolution of the basement at the limit of the Ribeira and Araçuai Orogens

  • Marcos MACHADO Faculdade de Geologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Letícia Muniz da Costa CARDOSO Faculdade de Geologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Juliana Fernandes BONIFÁCIO Faculdade de Geologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Renata HIRAGA Faculdade de Geologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Márcio Inácio ALVES Faculdade de Geologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Jose Renato NOGUEIRA Faculdade de Geologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Armando DIAS TAVARES 2Instituto de Física, Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Mauro Cesar GERALDES Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Resumo

Este artigo apresenta os resultados isotópicos de U-Pb e Lu-Hf de amostras situadas nos limites dos Orógenos Ribeira e Araçuai, em ortognaisses na região de Espera Feliz (MG). As análises petrográficas indicam paragêneses formadas Opx+Kfs+Pl+Qz+Gn formadas na fácies gramulito. Na área próxima da Serra do Caparaó são observados ortognaisses e paragnaisses além de milonitos e protomilinitos que evidenciam as zonas de cisalhamento. As rochas foram agrupadas nos seguintes litotipos: ortognaisses heterogêneos, ortogranulito e granada chanockito, além do paragnaisse, granada silimanita biotita gnaisse, e biotita leucogranito. As análises de U-Pb e Lu-Hf em grãos de zircão por LA-ICP-MS, permitiram a obtenção de idades de cristalização e de metamorfismo, além de informações sobre as fontes dos magmas. Os grãos de zirção apresentam, de forma geral, morfologia arredondada e/ou alongada, sendo possível a identificação de núcleos herdados e sobrecrescimento nos grãos através das imagens feitas no MEV. Análises geocronológicas U-Pb apresentam idades de cristalização, para os ortognaisses paleoproterozóicos, que variam de 2200 a 2075 Ma, com valores de εHf variando de -21,8 e -8,9 e TDM de 2,83 a 2,06 Ga (sugerindo fontes mantélicas com importante participação crustal na formação dos magmas destas rochas) e idades de metamorfismo de 600 a 570 Ma. Para os ortognaisses neoproterozóicos, foram encontradas idades de cristalização de 630 a 597 Ma, com valores de εHf variando de-14,6 e -6,7 e TDM de 2,22 e 1,78 Ga, sugerindo fontes crustais. Estes resultados permitem sugerir a formação do embasamento Paleoproterozoico originadas em ambiente de arco magmático durante o riaciano-orosiriano (2200-2075 Ma). Estas rochas foram intrudidas por um magmatismo edicariano (630-597 Ma). O terceiro evento identificado nas idades U-Pb das rochas estudadas é caracterizado pelo metamorfismo e anatexia (600-570 Ma) durante a colisão e formação do Gondwana.

 

Biografia do Autor

Marcos MACHADO, Faculdade de Geologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Faculdade de Geologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rua São Francisco Xavier, 524 - Maracanã, Rio de Janeiro - RJ

Letícia Muniz da Costa CARDOSO, Faculdade de Geologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Faculdade de Geologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Juliana Fernandes BONIFÁCIO, Faculdade de Geologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Faculdade de Geologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Renata HIRAGA, Faculdade de Geologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Faculdade de Geologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Márcio Inácio ALVES, Faculdade de Geologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Faculdade de Geologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Jose Renato NOGUEIRA, Faculdade de Geologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Faculdade de Geologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Armando DIAS TAVARES, 2Instituto de Física, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Instituto de Física, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Mauro Cesar GERALDES, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Departamento de Mineralogia e Petrologia Ignea Area de geocronologia

Publicado
2021-10-18