GRANITOS PALEOPROTEROZÓICOS NO ESCUDO PRÉ-CAMBRIANO BOLIVIANO: AS ROCHAS MAGMÁTICAS DA CORRERECA DE 1,92-1,89 GA E IMPLICAÇÕES TECTÔNICAS

Paleoproterozoic granites in Bolivian Precambrian Shield: the 1.92-1.89 Ga Correreca Intrusion magmatic rocks and tectonic implications

  • Gabriela VARGAS-MATOS Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Ramiro MATOS Universidad Mayor de San Andrés (UMSA)
  • Wilson TEIXEIRA 3Instituto de Geociências, Universidade de São Paulo
  • Moacir José Bueno MACAMBIRA Universidade Federal do Pará
  • Mauro Cesar GERALDES Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Resumo

Os resultados U-Pb em zircões apresentados neste trabalho definem uma importante modificação na cronoestratigrafia das unidades no pré-cambriano boliviano. Nesse sentido, o granito Correreca apresenta uma variação de idade entre 1,92 e 1,89 Ga e provavelmente foi gerado em um evento magmático Paleoproterozóico ainda não reportado no pré-Cambriano Boliviano. As unidades aqui descritas como embasamento correspondem às rochas mais antigas em relação à orogenia San Ignacio.       Nesse sentido, estas rochas mais antigas que o evento Lomas Manechi, relatado aqui pelo granito Correreca, que ocorre na parte sul da zona de cisalhamento de San Diablo e indicam uma história geológica distinta de outras áreas do embasamento pré-cambriano na Bolívia. Na região de Santo Corazon e a sul da frente de San Diablo, a intrusão da Correreca apresenta uma composição maioritariamente granodiorítica. Nesse sentido, a frente de San Diablo foi interpretada como uma zona de sutura entre os blocos sudeste do Paraguá e Sunsás  composta por uma zona de cisalhamento gerada pela colisão entre os blocos com evoluções geológicas distintas.

Biografia do Autor

Gabriela VARGAS-MATOS, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rua São Francisco Xavier, 524, Maracanã, CEP: 20550-013, Rio de Janeiro– Brasil.

Ramiro MATOS, Universidad Mayor de San Andrés (UMSA)

Universidad Mayor de San Andrés (UMSA), Calle 27 de Cota Cota,

Campus universitário,

Pabellón Geología,

La Paz Bolivia. E-mail: rmatoss@yahoo.com

Wilson TEIXEIRA, 3Instituto de Geociências, Universidade de São Paulo

Instituto de Geociências, Universidade de São Paulo-São Paulo- SP Brasil.

Moacir José Bueno MACAMBIRA, Universidade Federal do Pará

4Programa de Pós-graduação em Geologia e Geoquímica,

Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará,

Rua Augusto Correa, s/n, CEP 66075-110, Belém, PA, Brasil

Mauro Cesar GERALDES, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Departamento de Mineralogia e Petrologia Ignea Area de Geocronologia

Rua São Francisco Xavier, 524, Maracanã, Rio de Janeiro– Brasil

Publicado
2022-02-02