Fronteira agrícola do oeste baiano: considerações sobre os aspectos temporais, sociais e ambientais

  • Edson Eyji Sano Embrapa Cerrados
  • Clóvis Caribe Menezes dos Santos Universidade Estadual de Feira de Santana
  • Euzebio Medrado da Silva Embrapa Cerrados
  • Joselisa Maria Chaves Universidade Estadual de Feira de Santana
Palavras-chave: Produção de alimentos, Cerrado, impactos sociais, agricultura sustentável

Resumo

O oeste baiano representa uma região típica do Cerrado em termos de produção de grãos com alta produtividade e intensa mecanização. Este estudo apresenta algumas considerações sobre os aspectos temporais, sociais e ambientais da ocupação agrícola da referida região. Para isso, foram utilizados dados derivados de imagens de satélite, relatórios técnicos publicados e não-publicados por agências governamentais e entrevistas com produtores, comunidade local e funcionários do governo. No período de 1985 a 2005, houve um acréscimo de 352% na área plantada com culturas agrícolas. A introdução da moderna agricultura não minimizou a desigualdade social que já existia antes, pois a produção agrícola passou a ser dominada por grandes empresas multinacionais, sem participação relevante da comunidade local. Em contrapartida, a recente adoção de técnicas ambientalmente sustentáveis de manejo de solo e água por grande parte dos produtores tem reduzido os impactos ambientais da região. Esses são os casos da utilização do sistema de plantio direto para reduzir perdas de solo, água e fertilizantes e para aumentar a produtividade das culturas agrícolas e do uso da tensiometria para reduzir a demanda de água relacionada com irrigação de café.
Publicado
2012-03-26
Seção
Artigos