A FORMAÇÃO DE UM SISTEMA AGRÁRIO HÍBRIDO: ESTUDO DE CASO SOBRE AS CONTINUIDADES E RUPTURAS NA AGRICULTURA FAMILIAR DE LAJEADO-RS

  • Juliana Cristina FRANZ
  • Giancarla SALAMONI Universidade Federal de Pelotas

Resumo

O presente artigo analisa a configuração do sistema agrário colonial (SAC) e do sistema agrário moderno (SAM) no município de Lajeado/RS, no intuito de compreender a organização espacial atual da agricultura familiar local. A conformação do SAC combinou técnicas e práticas utilizadas nos sistemas agrários pré-existentes com os saberes e costumes trazidos da Alemanha. Na realidade pesquisada, as permanências relacionadas ao SAC ocorrem, principalmente, na dimensão sociocultural, através da reprodução de saberes e tradições, como língua, gastronomia, produção para autoconsumo e técnicas de manejo herdadas dos antepassados. Além disso, a centralidade da família e da propriedade da terra, ligada ao processo de herança, é marcadamente um elemento de continuidade na organização da agricultura familiar. Em relação aos elementos do SAM, que caracterizam as rupturas, o destaque cabe às dimensões técnicas e de produção, como a absorção de maquinário, inovações nas técnicas de plantio, no preparo do solo, na colheita e no uso de insumos bioquímicos. Consequentemente, o sistema agrário presente na agricultura familiar de Lajeado pode ser entendido a partir da combinação de elementos do SAC e do SAM, tendo como resultado continuidades e rupturas expressas no denominado sistema agrário híbrido (SAH).
Publicado
2018-11-15