DESIGUALDADES INTRA-REGIONAL NA ZONA DA MATA MINEIRA: PRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO SOCIOESPACIAIS DIFERENCIADAS

  • Patrico Aureliano Silva CARNEIRO Universidade Federal de Viçosa

Resumo

A expansão do modo de produção capitalista na Zona da Mata, ao imprimir um intenso processo de divisão socioterritorial intra-regional do trabalho, moldou um desenvolvimento geográfico desigual, materializado em duas formações territoriais distintas. A parte Centro-Sul, composta pelas microrregiões de Juiz de Fora, Cataguases e Ubá, em função da drenagem do capital gerado no âmbito regional e dos excedentes monetários cafeeiros acumulados pela elite agrária-empresarial, atualmente exibe alta diversificação urbano-industrial, com a economia pautada nos setores secundário e terciário. Em contrapartida, a parte Centro-Norte da região, representada pelas microrregiões de Viçosa, Ponte Nova, Manhuaçu e Muriaé, não experimentou tal processo de diversificação e apresenta economia assentada numa base agrária, altas taxas de população rural, de pobres e de analfabetos. Enquanto o espaço regional sinalizar esta incorporação desigual, a dependência e o avanço econômicos continuarão sustentando e alargando o desenvolvimento geográfico intra-regional desigual na Zona da Mata. Palavras-Chave: Zona da Mata Mineira; Formação e Organização Regional; Desenvolvimento Geográfico Intra-Regional Desigual.
Publicado
2008-07-16
Seção
Artigos