HISTÓRIA DE UM PENSAMENTO GEOGRÁFICO: GEORGES BERTRAND

  • Dante Flávio da Costa REIS JÚNIOR UNICAMP

Resumo

A Geografia francesa contemporânea deve muito às perspicazes intuições que Georges Bertrand teve e sofisticou a partir de meados dos anos sessenta. É com este autor que surge, na cena ocidental, uma particular forma de entender o que seriam os “geossistemas”. É com ele, pois, que se constitui uma pretensa teoria destas estruturas no âmbito da Geografia Física aquém-Sibéria. O valor de sua notável contribuição está, igualmente, no fato de Toulouse (cidade onde fez carreira) ter se tornado espécie de centro difusor do pensamento geossistêmico, chegando a merecer status de Escola. Contudo, a visão pessoal do francês sofreu pequenas mutações ao longo das décadas, o que nos autoriza a detectar em seu pensamento, apesar de um rígido eixo epistemológico, também certas transições e flexibilidades bastante sugestivas. Nosso artigo resume esta evolução por que passou o pensamento de um importante nome da Geografia. E faz isso à base do que nos permitem deduzir, aproximadamente, três dezenas de textos publicados pelo autor, textos esses que cobrem mais de três décadas. Não obstante, este texto vem a ser também a segunda parte de uma trilogia dedicada ao geógrafo francês. Palavras-chave: Pensamento geográfico francês. Georges Bertrand. Teoria da paisagem. Geossistemas. Sistema GTP.
Publicado
2008-08-16
Seção
Artigos

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>