INCOMPATIBILIDADES ENTRE ÁREAS LEGALMENTE PROTEGIDAS E USO DA TERRA NA UNIDADE DE PLANEJAMENTO E GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS AFLUENTES MINEIROS DO BAIXO PARANAÍBA

Resumo

As áreas legalmente protegidas (Áreas de Preservação Permanente, Reservas Legais e Unidades de Conservação) são espaços territoriais previstos pela legislação com o intuito de, minimamente, proporcionar um equilíbrio entre ação econômica e a preservação da natureza. No Brasil, mesmo com um arcabouço legal, essas áreas nem sempre estão preservadas adequadamente e, portanto, não cumprem suas funções ecológicas. Assim, o presente artigo possui a finalidade de levantar incompatibilidades das áreas legalmente protegidas da Unidade Planejamento e Gestão dos Recursos Hídricos Afluentes Mineiros do Baixo Paranaíba (UPGRH PN3), no estado de Minas Gerais. Por meio de procedimentos em software SIG e utilização de arquivos vetoriais e imagens gratuitas constatou-se que 42,86% das áreas legalmente protegidas da área de estudo precisam ser recuperadas. Diante disso, espera-se contribuir com a gestão da UPGRH PN3 e que a metodologia possa ser realizada em outras porções territoriais.

Biografia do Autor

Rafael Mendes Rosa, Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Possui graduação em Geografia (Bacharelado e Licenciatura) pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), especialização em Gestão Ambiental pela Faculdade Católica de Uberlândia (FCU) e mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Atualmente é doutorando do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Planejamento e Gestão Ambiental, Geografia Física e Geoprocessamento.

Vanderlei de Oliveira Ferreira, Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

É geógrafo (1993), mestre (1996) e doutor (2007) em Geografia/Análise Ambiental pela Universidade Federal de Minas Gerais (IGC/UFMG). Desde 2008 é docente da Universidade Federal de Uberlândia (IG/UFU). Dedica-se ao ensino, pesquisa e extensão em temas e problemas especialmente vinculados à Hidrologia e Climatologia, com destaque para estudos que tratam dos impactos das mudanças climáticas e do uso das terras sobre a dinâmica de bacias hidrográficas, recorrendo-se a modelos de análise tendencial e instrumentos geocartográficos. É docente permanente do Programa de Pós-graduação em Geografia da Universidade Federal de Uberlândia.

Publicado
2021-02-27
Seção
Artigos