A TERRITORIALIDADE DO SAGRADO COMO ESTRATÉGIA DE RESISTÊNCIA CAMPONESA NA AMAZÔNIA BRASILEIRA

Resumo

Este artigo, de pesquisa bibliográfica e trabalho de campo, parte da compreensão da territorialidade do sagrado em comunidades camponesas na Amazônia brasileira, como estratégia de resistência desta classe social. Salienta-se, que para além dos movimentos sociais, a resistência camponesa se assenta no território local, caracterizada por foças sociais que evidenciam politicas alimentares autônomas, controle nos processos produtivos, vínculos de sociabilidade comunitária, de parentesco e principalmente religiosos. A territorialidade do sagrado é originária da territorialidade religiosa, isto é, a constituição de espaços sagrados se dá a partir de uma orientação religiosa imposta por uma instituição religiosa, que reflete no afloramento de espaços de devoção, repletos de objetos sagrados, dentre outros.

Biografia do Autor

Laís Rodrigues Campos, Universidade Federal de Goiás - UFG

Professora Adjunta da área de Pedagogia, lotada no Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada à Educação, da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Julian Islan Martins Rodrigues , Universidade Federal do Amazonas - UFAM

Graduado em Licenciatura Plena em Geografia pela Universidade do Estado do Pará (UEPA).  Mestrando em Geografia no Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Pós-graduando em Docência para a Educação Profissional e Tecnológica pela Universidade Aberta do Brasil / Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (UAB/IFAM). Graduando em Licenciatura em Pedagogia pela Universidade Federal do Pará (UFPA).

Publicado
2021-10-25
Seção
Artigos