A DUPLICAÇÃO DA BR-101 NA BAHIA E AS AÇÕES DE MITIGAÇÃO AMBIENTAL EM COMUNIDADES QUILOMBOLAS

Resumo

Empreendimentos estruturantes e de grande porte causam impactos consideráveis ao meio ambiente. A duplicação e adequação da BR-101/BA não é diferente, mas é necessário cumprir as exigências do processo de licenciamento ambiental. O presente trabalho tem como objetivo analisar os resultados das ações promovidas pela gestão ambiental das obras de adequação e duplicação da BR 101/BA, nas comunidades quilombolas Timbó, em Esplanada, Fazenda Porteiras, no município de Entre Rios, e Fazenda Oiteiros e Fazenda Cangula em Alagoinhas. Em termos metodológicos, foram utilizados dados primários e secundários. Os resultados indicam que as atividades desenvolvidas não alcançaram integralmente seu verdadeiro intuito, ou seja, mitigar os impactos sofridos com a instalação da adequação e duplicação da BR 101/BA, porém se observou tentativas de manter o território quilombola com sua história preservada. O conhecimento técnico e a implantação de ações geraram possibilidades de renda às populações quilombolas através da multiplicação de ações ambientais e de melhoria local.

Biografia do Autor

Josiene Ferreira dos Santos Lima, Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Geógrafa e Analista Ambiental das Obras de Duplicação da BR-101 PE/AL/SE/BA. Doutoranda pelo Programa de Pós-graduação em Geografia (PPGEO) da Universidade Federal de Sergipe (UFS).

José Wellington Carvalho Vilar, Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Professor Titular do Instituto Federal de Sergipe (IFS). Professor do Programa de Pós-graduação em Geografia (PPGEO) da Universidade Federal de Sergipe (UFS).

Simone Soares Oliveira, Universidade de Brasília (UNB)

Bióloga e Coordenadora da Gestão Ambiental das Obras de Duplicação da BR-101 PE/AL/SE/BA. Doutoranda do Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília (UnB).

Publicado
2021-11-08
Seção
Artigos