A CLIMATOLOGIA URBANA E O USO DO SENSORIAMENTO REMOTO: UM ESTUDO DE CASO EM UMA CIDADE DE PEQUENO PORTE EM CLIMA TROPICAL DE ALTITUDE

Resumo

As mudanças no uso da terra associadas à urbanização e industrialização modificam o microclima, levando a formação de ilhas de calor urbanas, nas quais as cidades são mais quentes que a paisagem circundante. Nesse sentido, este estudo busca analisar o padrão do uso e cobertura da terra e a Temperatura de Superfície Terrestre (TST), que fora estimada a partir de imagens orbitais do Sensor TIRS, Landsat 8, em 2 datas nos meses de verão e inverno do ano de 2017, bem como procurar indicadores da correlação entre a temperatura de superfície e a temperatura do ar a partir de 5 pontos de análise sobre a área de estudo, compreendida no perímetro urbano do município de Ponte Nova-MG, na Zona da Mata Mineira, uma cidade situada em um planalto dissecado e um clima tropical de altitude. Os resultados demonstraram uma correlação forte (73,0%) entre TST e a temperatura do ar, considerando a correlação de Pearson. Como também se verificou uma correlação muito forte no verão (98,0%) e forte no inverno (82,0%) entre o NDVI e a Temperatura de superfície ar.

Biografia do Autor

Edson Soares Fialho, Universidade Federal de Viçosa (UFV)

Professor Associado II do Departamento de Geografia da Universidade Federal de Viçosa (UFV). Coordenador do PIBID de Geografia e Coordenador do Laboratório de Biogegroafia e Climatologia (BIOCLIMA).

Larissa Galvão Fontes dos Santos, Universidade Federal de Viçosa (UFV)

Licenciada em Geografia. Bolsista de Iniciação científica CNPq - PIBIC (2020-2021). Membro do Laboratório Biogeografia e Climatologia (Bioclima), na Universidadde Fedeal de Viçosa (UFV).

Seção
Artigos