O ESPAÇO ATRAVÉS DA RELIGIÃO: PERCEPÇÕES E REPRESENTAÇÕES ESPACIAIS ENTRE CANDOMBLECISTAS E EVANGÉLICOS

Resumo

Apresentamos neste artigo as percepções e representações espaciais segundo dois grupos religiosos, os candomblecistas do Terreiro do Cobre e os evangélicos da Igreja Universal. Desvelando a religião enquanto forma simbólica, atuando, através de sua cosmogonia, nas formas de ser de seus adeptos e da estruturação da realidade, veremos as distintas maneiras como os grupos experienciam, percebem e representam o Engenho Velho da Federação (Salvador-BA), bairro onde ambos os templos estão situados. Uma profunda discussão sobre percepção e representação espacial é, então, empreendida. Na análise dos resultados, além das entrevistas e observações de campo, utilizaremos os mapas mentais que foram construídos por nossos entrevistados. Os mapas encarnam as distintas maneiras de viver, perceber e significar o bairro. E este conjunto – o vivido, o percebido e as significações – encarna os respectivos valores cosmogônicos.

Biografia do Autor

Caê Garcia Carvalho, Instituto Federal da Bahia - IFBA, Campus Irecê; Universidade Federal do Pampa / Universidade Aberta do Brasil

Possui graduação (2014), mestrado (2016) e doutorado (2021) em Geografia pela Universidade Federal da Bahia. Diversos são os temas de pesquisa: Geografia Cultural-Humanista, Geografia
da Religião, Geografia e Arte, Geografia e Psicanálise, Corpo e Geografia, e Geografia Regional.

Atualmente é professor substituto no Instituto Federal da Bahia (IFBA) e professor formador na Universidade Federal do Pampa / Universidade Aberta do Brasil.

Integra o grupo de pesquisa Espaço Livre de Pesquisa-Ação coordenado pelo professor Angelo Serpa.

Publicado
2022-11-17
Seção
Artigos