AVALIAÇÃO DE ÁREAS QUEIMADAS A PARTIR DE ÍNDICES ESPECTRAIS DERIVADOS DE DADOS ORBITAIS

  • Gabriel PEREIRA INPE
  • Francielle da Silva CARDOSO UFSC
  • Egídio ARAI INPE

Resumo

O objetivo desta pesquisa foi avaliar e mapear as áreas de queimadas através de três diferentes índices multiespectrais extraídos de imagens orbitais. Foram utilizadas imagens do sensor TM/Landsat 5 para 3 biomas brasileiros diferentes, correspondentes à floresta amazônica, ao pantanal e à vegetação de restinga, em Ji-Paraná (RO), Passo do Lontra (MS) e Parque Estadual Serra do Tabuleiro (SC), respectivamente. Analisou-se a variação do Índice de Vegetação por Diferença Normalizada (NDVI) e dos Índices de Queimada Normalizados (NDBR e NDBR2.5) de uma cena antes e depois da ocorrência da queima de biomassa. Além disto, a imagem resultante da diferença entre as imagens de duas datas distintas foi segmentada e classificada utilizando o algoritmo ISOSEG e comparada com as estimativas de área calculada. Os índices de variação pré e pós queimada, denominados de DNDVI, DNDBR e DNDBR2.5 apresentaram resultados satisfatórios, porém, a melhor distinção entre a área queimada e as áreas adjacentes foram diagnosticadas pelo DNDBR2.5, com os valores médios na área queimada variando de -0,27 a -0,10 e os valores de vizinhança variando de -0,01 a 0,02. Na classificação não-supervisionada da área queimada o melhor resultado foi obtido pelo DNDBR2.5, que em média subestimou as áreas queimadas em 33% e apresentou um erro na detecção médio de 20%. Palavras-chave: Queimadas. Impactos ambientais. Índices multiespectrais.
Publicado
2009-10-29
Seção
Artigos

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)