ANÁLISE ESPACIAL E TEMPORAL DO IVAS E DO ALBEDO DA SUPERFÍCIE NO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DO SABUGI - PB

  • Célia Cristina Clemente MACHADO Universidade Federal de Pernambuco
  • Josiclêda Domiciano GALVÍNCIO Universidade Federal de Pernambuco
  • Tiago Henrique de OLIVEIRA Universidade Federal de Pernambuco

Resumo

O índice de vegetação ajustado ao efeito do solo (IVAS) e o albedo da superfície, obtidos por técnicas de sensoriamento remoto, têm-se revelado importantes ferramentas no monitoramento e gestão dos recursos naturais. Este estudo visa analisar a variação espaço-temporal do IVAS e do albedo da superfície no município de São José do Sabugi. Para isso, foram utilizadas três imagens do Mapeador Temático do satélite Landsat 5, cedidas pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, da órbita e ponto 215/065 com datas de passagem em 15 de Agosto de 1988, 11 de Agosto de 1998 e 6 de Agosto de 2008. A grave seca observada no nordeste em 1998 e as precipitações intensas verificadas em 2008 refletiram-se sobre as estimativas de IVAS e de albedo da superfície. As estimativas do IVAS da imagem de 1998 reduziram significativamente em relação à imagem de 1988 e aumentaram na imagem de 2008. O albedo da superfície sofreu um processo inverso. Verificou-se que a estimativa do albedo da superfície permite a distinção entre vegetação muito seca de solo exposto, tornando-se a sua análise, nesse aspecto, mais vantajosa do que o IVAS. No entanto, uma análise conjunta de ambos permite uma análise ambiental mais robusta e completa.

Biografia do Autor

Célia Cristina Clemente MACHADO, Universidade Federal de Pernambuco
Doutoranda em Geografia Departamento de Ciências Geográficas
Josiclêda Domiciano GALVÍNCIO, Universidade Federal de Pernambuco
Professora Adjunto Departamento de Ciências Geográficas
Tiago Henrique de OLIVEIRA, Universidade Federal de Pernambuco
Mestrando em Geografia Departamento de Ciências Geográficas
Publicado
2011-11-24
Seção
Artigos