SPATIAL ANALYSIS OF PREVALENCE OF ANTI-LEPTOSPIRA AGGLUTININS AND EPIDEMIOLOGIC RISK IN CATTLE IN THE PANTANAL OF CÁCERES-MT, BRAZIL

  • Suely TOCANTINS
  • Nivaldo da SILVA
  • Ronaldo José NEVES
  • Carla Bernadete Madureira CRUZ
  • Jakeline Santos COCHEV

Resumo

The seroprevalence, spatial distribution and risk analysis of anti-leptospira agglutinins in cattle were studied in the Pantanal of Mato Grosso, Cáceres, Mato Grosso State (MT), Brazil in 2005. Geo-Technologies and scan statistics to evaluate possible areas of differential risk were used. The objective of this paper is to execute a spatial analysis of anti-leptospira agglutinins prevalence and epidemiological risk in cattle in the Pantanal of Cáceres/MT. The sample size was about 2.5% of cattle by pasture area, based on a population of 79,582 animals, aged over four months. We collected 2,123 blood serum samples from the cattle of four age groups, namely: from 4 to 12 months, from 13 to 24 months, from 25 to 36 months and older than 36 months from both genders. The sera samples were tested by a microscope agglutination technique, against 17 leptospira serovars. About 15% of the male cattle and 85% of female cattle were seropositive with at least one serovar, constituting 57.93% of total of samples. All farms presented seropositive cattle and the average prevalence found in 29 farms was about 61.07%. The risk analysis showed that the infection for pathogenic leptospira at cattle does not occur randomly, showing two areas with the highest relative risk, a primary cluster with RR of 1.45 and a secondary one with RR of 1.38. The primary cluster areas are associated to strong inundation areas whereas the secondary ones to moderate inundation areas, demonstrating that the leptospira bacteria causing leptospirosis can survive longer on strongly inundated areas. Key words: Geo-Technologies. Spatial distribution. Moisture áreas. Upper Paraguay river basin. Mato Grosso State. Análise espacial da prevalência de aglutininas anti-leptospira e de risco epidemiológico em bovinos no pantanal de Cáceres-MT, Brasil A soroprevalência, distribuição espacial e análise de risco de aglutininas anti-leptospira em bovinos foi estudada no Pantanal matogrossense, no município de Cáceres-MT em 2005, utilizando geotecnologias e estatística de varredura para avaliar possíveis áreas de risco diferenciado. Este trabalho propõe realizar a análise espacial da prevalência de aglutininas anti-leptospira e de risco epidemiológico em bovinos no Pantanal de Cáceres/MT. O tamanho da amostra foi de 2,5% dos bovinos por pasto ocupado, baseado em uma população acima de quatro meses de 79.582 animais, sendo coletadas 2.123 amostras de soro sangüíneo de bovinos entre as faixas etárias de 4 a 12 meses, 13 a 24 meses, 25 a 36 meses e mais de 36 meses de ambos os sexos. Os soros foram testados pela técnica de aglutinação microscópica, frente a 17 sorovariedades de leptospiras. Cerca de 15% dos machos e 85% das fêmeas foram sororreagentes a pelo menos uma das sorovariedades, perfazendo 57,93% de todas as amostras. Todas as fazendas apresentaram bovinos sororreagentes e a prevalência média encontrada nas 29 fazendas foi de 61,07%. Na avaliação de risco, demonstrou-se que a infecção por leptospiras patogênicas para os bovinos não ocorre ao acaso, tendo duas áreas com maior risco relativo, um cluster primário com RR de 1,45 e um secundário com RR de 1,38. Sendo que as áreas de cluster primário estão associadas às áreas de inundação forte e as de cluster secundário, às áreas de inundação moderada, demonstrando que a bactéria causadora da leptospirose sobrevive mais tempo em áreas onde a inundação é mais intensa. Palavras-chave: Geotecnologias. Distribuição espacial. Pantanal Matogrossense. Mato Grosso.
Publicado
2011-11-29

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)