INTERAÇÕES ENTRE A ATMOSFERA E A SOCIEDADE: EM BUSCA DE NOVAS PERSPECTIVAS

  • Lucí Hidalgo NUNES Universidade Estadual de Campinas

Resumo

INTRODUÇÃO Os arranjos institucionais da sociedade são largamente baseados no uso cada vez mais intensivo dos recursos naturais, com conseqüentes impactos, inclusive na atmosfera. Uma parte substancial dos atuais problemas ambientais é deflagrada por condicionantes climáticos1 que promovem secas, enchentes e deslizamentos, com perdas de vidas, deslocamento das populações, danos às propriedades e atividades econômicas. Tais fatos expõem a falta de ajuste entre a sociedade e o seu ambiente, aqui entendido como produto de relações entre componentes de meio e de lugar, em que o meio é representado pelos componentes concretos e o ambiente, por seus produtos relacionais abstratos (D’AGOSTINI, 2002). Enfatizam, por conseguinte, a necessidade de se relacionar convenientemente questões de ordem física e social. Proposições efetivas para o tratamento dos impactos causados por eventos climáticos na sociedade requerem o uso de aproximações, estratégias e técnicas que integrem aspectos bastante diversos entre si, essencialmente dinâmicos e ocorrentes em diferentes escalas espaço-temporais. Todavia, qualquer medida com vistas a limitar os impactos climáticos na sociedade deve considerar que o ambiente atmosférico é altamente dinâmico e, assim como os demais sistemas do planeta, encontra-se em franca transformação; dessa maneira, qualquer esforço nessa direção deve considerar o contexto das mudanças climáticas globais (NUNES 2002a e 2002b). Mecanismos conectando atmosfera e sociedade envolvem interações entre os domínios físico, econômico e social englobando, portanto, componentes que são bastante diferenciados quanto às suas dinâmicas, linearidades e temporalidades. Além disso, seus arranjos são dirigidos por forçantes que se cristalizam em escalas que vão do nível local ao global. Assim, eles apresentam tempos de resposta diferenciados e refletem a estrutura econômico-social dominante. Pretende-se aqui apresentar algumas das dificuldades em se integrar em uma base dinâmica elementos naturais e sociais, cuja consideração conjunta, articulada e imparcial é vital para a eqüalização do problema em busca de proposições viáveis e socialmente aceitáveis.

Biografia do Autor

Lucí Hidalgo NUNES, Universidade Estadual de Campinas
Universidade Estadual de Campinas Instituto de Geociências Departamento de Geografia
Seção
Notas e Resenhas

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)