AS FRONTEIRAS EPISTEMOLÓGICAS ENTRE GEOGRAFIA E HISTÓRIA E A TRAVESSIA CONCILIADORA NA GEO-HISTÓRIA DA EXPANSÃO MARÍTIMA PORTUGUESA

  • Weber SOARES Instituto de Geociências - IGC/UFMG

Resumo

Em que consiste a Geo-história? Quais são os marcos orientadores de estudos que informam práticas autênticas desse campo do saber? Quando o exercício epistemológico próprio da Geo-história é realizado, que tipo de conhecimento se obtém? Essas interpelações, que conferem norte ao caminho analítico trilhado neste texto, ancoram-se no entendimento de que a materialidade do território demanda empenho elucidativo. Daí, o significado ontológico do território fundamenta uma epistemologia do território que retira sua força heurística da tensão entre os processos de ordem local e os de ordem vasta. As diretrizes referentes ao tipo de conhecimento que é conveniente esperar e da pauta de causalidades a que se ater no curso ordinário de estudos que perfilham os princípios geo-históricos coroam aqui o esforço de coerir o referencial teórico sobre a Geo-história e as historiografias concernentes à gênese da expansão marítima portuguesa.
Publicado
2013-06-09
Seção
Artigos