POLÍTICA PÚBLICA DE SAÚDE MENTAL E O SUICÍDIO NO PARANÁ - BR: UMA ABORDAGEM GEOGRÁFICA

  • Adeir Archanjo da MOTA UNESP - Campus Presidente Prudente
  • Raul Borges GUIMARÃES

Resumo

O presente estudo tem por objetivo analisar a distribuição espacial do suicídio e a distribui ção dos serviços de saúde mental no estado do Paraná. Para isto, foram utilizados dados oficiais e atualizados recorte temporal de 1998 a 2010, disponibilizados pelo IBGE, DATASUS e CNES, os dois últimos do Ministério da Saúde. A falta de metodologia para realizar a análise espacial intermunicipal do fenômeno estudado foi um desafio, o que nos levou a elaborar um indicador municipal de óbitos e internações por porte populacional e outro que tem por finalidade subsidiar a política pública de saúde mental, ao identificar os municípios de alta à baixa prioridade para expansão ou implantação de serviços de saúde mental. Os municípios com as maiores taxas de suicídio e quantidade de internações não possui um perfil demográfico definido, uns são populosos e urbanos e outros são rurais e de pequeno porte, não tendo a mesma espacialidade dos serviços de saúde mental, que se concentram nos municípios de porte médio e grande. Entre os municípios de porte médio identifica-se ampla variabilidade do indicador, com destaque para munic ípios com médio e alto óbito por suicídio e a relação entre o aumento do óbito com o aumento das internações.

Biografia do Autor

Adeir Archanjo da MOTA, UNESP - Campus Presidente Prudente
Doutorando em Geografia no PPGG / FCT / UNESP - Campus Presidente Prudente
Publicado
2013-06-09
Seção
Artigos