RECONSTRUÇÃO PALEOAMBIENTAL DO BAIXO CURSO DO RIO IVAÍ- DOURARINA /PARANÁ

  • João Cláudio Alcantara dos SANTOS Laboratorio de Estudos Paleambientais da Fecilcam
  • Nelson Vicente Lovatto GASPARETTO UEM
  • Mauro PAROLIN FECILCAM

Resumo

Foi determinado o paleoambiente do baixo curso do rio Ivaí, região de Douradina/PR com base em fitólitos, espículas de esponjas e frústulas de diatomáceas, presentes em: perfil de solo (250 cm) denominado Trincheira Reserva (TR) e testemunho sedimentar de 290 cm sobre Terraço construído pelo rio Ivaí (TI). Na TR executaram-se duas datações por 14C (10.195 AP (220 cm) e 5.963 anos AP (140cm). No TI a datação via LOE estimou idade de 19.900 ± 2.800 anos (290cm) e 13.250± 1.890 anos (98cm). Determinou-se os valores de δ13C do solo – média de -25‰ (plantas C3). Para extração dos corpos silicosos e confecção de lâminas de microscopia, as amostras foram aquecidas em mufla (500ºC/5h), e tratadas posteriormente com HCl, para maior recuperação foram suspensas com ZnCl2 (2,2 cm3). No TI determinou-se três fases ambientais: i) canal ativo (Pleistoceno Tardio); ii) abandono de canal; iii) formação de Terraço. Na TR determinaram-se duas fases: i) condições ambientais mais secas que as atuais, sob o domínio de floresta; ii) condições mais úmidas há pelo menos 5.963 anos AP. As interpretações no TI e TR apresentam concordância com outros trabalhos realizados próximos a área de estudo. Palavras- chave: Quaternário. Pleistoceno. Holoceno. Fitólitos.

Biografia do Autor

João Cláudio Alcantara dos SANTOS, Laboratorio de Estudos Paleambientais da Fecilcam
Graduado em Turismo e Meio Ambiente e Licenciatura em Geografia pela UNESPAR campus Campo Mourão e mestre em Geografia pela Universidade Estadual de Maringá.
Publicado
2014-10-31
Seção
Artigos