ESTUDO DA INSOLAÇÃO DIRETA NA ÁREA CENTRAL DO PERÍMETRO URBANO DE SANTA MARIA-RS

  • Alexandre Pistoia SAYDELLES CCNE/ UFSM
  • Maria da Graça Barros SARTORI CCNE/ UFSM

Resumo

No século XX, as cidades tornaram-se alvos de inúmeros estudos, pois a expansão das áreas urbanas provocou transformações no clima local, comprometendo a qualidade ambiental e a salubridade urbana. Assim, o objetivo principal deste trabalho foi avaliar a distribuição da insolação direta na área de maior densidade urbana e populacional da cidade de Santa Maria-RS, a partir da declinação do Sol ao longo do ano sobre o estado do RS. O canal de percepção climática Termodinâmico do Sistema Clima Urbano, proposto por Monteiro (1976), serviu de embasamento teórico-metodológico, pois a insolação controla os índices de temperatura e umidade do ar, responsáveis pela sensação de bem-estar e conforto térmico da população. No estudo das áreas de maior ou menor incidência solar direta, elaboraram-se cartas de hipsometria, malha urbana e orientação das vertentes. Assim, ao analisá-las, constatou-se que os bairros estudados apresentam a maioria de suas vertentes orientadas aos quadrantes que recebem intensa insolação direta, podendo comprometer o conforto térmico nos dias de verão. Desta forma, conclui-se, que a compreensão desta variável climática é indispensável ao planejamento urbano e arquitetônico, na obtenção de melhor qualidade de vida e conforto ambiental. Palavras-Chave: Conforto Térmico; Clima Urbano; Insolação direta; Cartografia.
Seção
Artigos