TÉCNICAS DE ELABORAÇÃO, POSSIBILIDADES E RESTRIÇÕES DE CARTAS MORFOMÉTRICAS NA GESTÃO AMBIENTAL

  • Cenira Maria Lupinacci CUNHA UNESP
  • Iandara Alves MENDES UNESP
  • Miguel Cezar SANCHEZ UNESP

Resumo

A preservação dos recursos naturais através de uma gestão ambiental adequada constitui-se, na atualidade, em um dos grandes desafios enfrentados pela humanidade. No contexto da gestão ambiental, as formas de relevo e os processos geomorfológicos têm grande importância, tanto pelo fato de constituírem o substrato físico sobre o qual se desenvolvem as atividades humanas, como por responderem, muitas vezes de forma agressiva, às alterações provocadas por tais atividades. Desse modo, a representação cartográfica do relevo torna-se instrumental imprescindível para uma gestão ambiental adequada. Verifica-se, contudo, que as cartas normalmente elaboradas constituem-se em documentos complexos que, muitas vezes, dificultam a transmissão das informações aos leitores não-especializados. Neste contexto, o objetivo principal desta pesquisa foi testar, correlacionar e avaliar diversas propostas de representação cartográfica da morfometria do relevo, analisando as limitações e possibilidades dos dados e informações fornecidos por tais produtos. Desse modo, verificou-se que, de acordo com as características da área, as condições materiais e de tempo para a realização da pesquisa, a escala de trabalho e a questão ambiental a ser avaliada são recomendáveis a utilização de técnicas específicas para o mapeamento da morfometria do relevo. Palavras-chave: cartografia; morfometria do relevo; representação cartográfica.
Publicado
2008-04-23
Seção
Artigos