ESPACIALIZAÇÃO TEMPORAL DAS PERDAS DE SOLO EM UMA MICROBACIA HIDROGRÁFICA COM PREDOMÍNIO DE SOLOS ARENOSOS

  • Edvania Aparecida CORRÊA IGCE/UNESP
  • Sergio dos Anjos Ferreira PINTO UNESP
  • Antonio Aparecido COUTO JÚNIOR IGCE/UNESP

Resumo

O presente artigo tem como objetivo avaliar temporalmente a distribuição espacial das perdas de solo em uma bacia hidrográfica rural de pequeno porte, tendo em vista que a mesma encontra-se em uma área de relevo predominantemente ondulado/ forte ondulado. Com base na formulação da Equação Universal de Perdas de Solo (EUPS) e utilizando a documentação cartográfica e os produtos de Sensoriamento Remoto, foram obtidos, em ambiente de Sistema de Informação Geográfica (SIG), as cartas referentes à erosividade, erodibilidade, fator topográfico, fator práticas conservacionistas e usos da terra referentes aos cenários de 1988, 2006 e 2013. Em todos os cenários avaliados observou-se o predomínio de pastagens e vegetação natural florestal, as quais ocorreram em aproximadamente 90% do total da área de estudo. Por outro lado, também foi possível verificar a expansão da cultura de cana-de-açúcar na porção sul/sudeste da área de estudo, a qual, considerando as características físicas da bacia, acarreta perdas de solo acima do limite tolerável. Desta maneira, grande importância deve ser dada na aplicação de um adequado planejamento agrícola visando à implantação de culturas que proporcionem maior proteção do solo. Neste sentido, a carta de potencial natural de erosão e a carta de risco de erosão demonstraram ser mportantes instrumentos no planejamento agrícola em nível de bacias hidrográficas
Publicado
2015-08-04
Seção
Artigos