DESACATO AOS PAPAS: UMA HISTORIOGRAFIA DA GEOGRAFIA TEORÉTICA FRANCESA (PARTE DOIS)

  • Dante Flávio da Costa REIS JÚNIOR Depto. Geografia, IH/Unb

Resumo

Há episódios locais que ilustram, para o contexto europeu, eclosão e espargimento de novos ideários científicos. Interessa-nos aqui um sucesso que, especificamente a ver com o linguistic turn ocorrido na Geografia dos anos sessenta, mostrou vigor e longevidade no território francês. Trata-se do surgimento e evolução de um grupo de geógrafos (Groupe Dupont) que, sobretudo a partir da década dos setenta, desempenhará a função capital de assimilar e retransmitir desde uma França mediterrânea os sinais de transfiguração metodológica manifestos em seu campo disciplinar. No mês de Janeiro de 2010, por trinta dias, examinamos documentos textuais e colhemos testemunhos orais na Universidade de Avignon, sede oficial da agremiação teorética. A pesquisa engendrou, portanto, duas frentes de informação: a bibliográfica (em que nos amparamos nos veículos de divulgação textual chancelados pelo Grupo) e a auditiva (que o depoimento reminiscente dos personagens nos valeu). A narrativa que continuaremos aqui se baseia em ambas as frentes, sendo que rechecamos certos dados numa segunda estada in loco (mais breve, mas recente), ocorrida no final do mês de Janeiro de 2012. Descrevendo o desenvolvimento do Grupo e seus frutos (colóquio e revista), ansiamos, além de meramente noticiar a intrigante subversão do classicismo francês por próprios agentes domésticos, chamar a atenção para a persistência dessas intenções sofisticadoras algo que, por sua vez, não há de ser um episódio estritamente francês ou regionalista.
Publicado
2013-06-09
Seção
Artigos