AVALIAÇÃO DA USABILIDADE DE SIMULADORES NO ENSINO DE FÍSICA: APLICAÇÃO DO MÉTODO DO PERCURSO COGNITIVO

Palavras-chave: Percurso cognitivo, Avaliação de ferramentas educacionais, Simuladores

Resumo

O uso de simuladores e aplicativos customizados para o uso educativo abre novas possibilidades no processo de ensino e aprendizagem das mais variadas disciplinas, através de interações mediadas pelo computador (Buzato, 2006). Nesse contexto, professores estão desenvolvendo material digital considerando essa poderosa ferramenta. O uso de aplicativos e simuladores educacionais tem aumentado significativamente com a difusão da internet nas escolas. No entanto, a avaliação da efetividade desses aplicativos é complexa e incipiente (Barroso, Felipe e Silva, 2006). Este artigo apresenta uma proposta de avaliação da usabilidade de interface para uso de simuladores com alunos do ensino básico utilizando uma versão customizada do PSSUQ, com uma avaliação pelo método do percurso cognitivo (Wharton, Rieman, Lewis e Polson, 1990). A interface escolhida foi o simulador de pêndulo simples - parte do pacote de simulações PhET. Os resultados apontaram usabilidade satisfatória do aplicativo, embora algumas limitações e dificuldades de usabilidade tenham sido encontradas. Sugestões para aplicações, pesquisas futuras e recomendações são apresentadas.

Referências

ALMEIDA, R. X. E. de; FERREIRA, S. B. L.; SILVEIRA, D. S. da; PIMENTEL, M.; GOLDBACH, R.; BESSA, A. T. Heurísticas de Usabilidade Orientadas às Redes Sociais. In: IV ENADI - ENCONTRO DA ADMINISTRAÇÃO DA INFORMAÇÃO, 2013, Rio de Janeiro. Anais [...] Rio de Janeiro, 2013. p. 1-12.

BARROS, A. J. da S.; LEHFELD, N. A. de S. Fundamentos de metodologia científica: um guia para a iniciação científica. São Paulo: MAKRON, 2. ed. ampliada, 2000.

BARROSO, M. F.; FELIPE, G.; SILVA, T. Aplicativos computacionais e ensino de física. Atas do IX EPEF–Encontro de Pesquisa em Ensino de Física, 2006.

BUZATO, M. El K. Letramentos digitais e formação de professores. São Paulo: Portal Educarede, 2006.

FALKEMBACH, G. A. M. Concepção e desenvolvimento de material educativo digital, CINTED-UFRGS, v. 3, n. 1, p. 03-07, 2005.

FERREIRA, S. B. L; NUNES, R. E-usabilidade. 1. ed., Rio de Janeiro, LTC Editora. 2008.

ROCHA, H. V. Da; BARANAUSKAS, M. C. C. Design e Avaliação de Interfaces Humano-Computado. Campinas: Unicamp, 2003.

ROSA, A. F. et al. European Portuguese validation of the Post-Study System Usability Questionnaire (PSSUQ). In: Information Systems and Technologies (CISTI), 2015 10th Iberian Conference on. IEEE, 2015. p. 1-5.

RIEMAN, J.; FRANZKC, M.; REDMILES, D. Usability Evaluation with the Cognitive Walkthrough. CHI’95 MOSAIC OF CREATIVITY, 1995.

SILVA, B. S. da; BARBOSA, S. D. J. Interação Humano-Computador: Projetando a Experiência Perfeita. Rio de Janeiro: Campus, 2010.

LEWIS, C. et al. Testing a walkthrough methodology for theory-based design of walk-up-and-use interfaces. In: Proceedings of the SIGCHI conference on Human factors in computing systems. ACM, 1990. p. 235-242.

MAGALHÃES, E. et al. Impacto da Usabilidade na Educação a Distância: Um estudo de caso no Moodle IFAM. Artigos Industriais. IHC 2010 –IX Simpósio de Fatores Humanos em Sistemas Computacionais, Belo Horizonte, p. 01-06, MG, 2010.

MESQUITA, E. Competências do professor: representações sobre a formação e a profissão. Edições Sílabo, 2013.

POLSON, P. G.; LEWIS, C. H. Theory-based design for easily learned interfaces. Human–Computer Interaction, v. 5, n. 2-3, p. 191-220, 1990.

POLSON, P. G. et al. Cognitive walkthroughs: a method for theory-based evaluation of user interfaces. International Journal of man-machine studies, v. 36, n. 5, p. 741-773, 1992.

WHARTON, C., RIEMAN, J., LEWIS, C., and POISON, P. The cognitive walkthrough method: A practitioner's guide.1994.

WIEMAN C. E.; ADAMS W.K.; PERKINS K.K. “PhET: Simulations That Enhance Learning”, Science, v. 322, p. 683, 2008.

Publicado
2020-06-30