POLÍTICAS PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE ALFABETIZAÇÃO: OS REFERENCIAIS TEÓRICOS PRESENTES NO PNAIC

Palavras-chave: Políticas Educacionais, Formação de Professores Alfabetizadores. PNAIC.

Resumo

O artigo em questão se insere no campo das políticas para a formação de professores alfabetizadores. O objetivo é analisar o programa Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC) a fim de identificar os referenciais teóricos que estão presentes nos cadernos de formação da Alfabetização em Língua Portuguesa. Por meio de uma pesquisa qualitativa e de análise documental, o foco foi investigar os cadernos de formação e como eles apresentam a discussão teórica sobre o processo de desenvolvimento e aprendizagem na alfabetização. Os resultados abalizam que as perspectivas teóricas dos cadernos de formação do PNAIC estão pautadas na concepção do Construtivismo e Sociointeracionismo e apresentam miscelânea com a Teoria Histórico-Cultural (THC).

Referências

BRASIL. Constituição de 1988. Constituição da República Federativa do Brasil. 16. ed. São Paulo: Atlas, 1988.

BRASIL. Ministério da Educação. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: formação de Professores no Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2012a.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto pela Alfabetização na Idade Certa: Currículo no ciclo de alfabetização: consolidação e monitoramento do processo de ensino e de aprendizagem. Ano 02, unidade 01. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2012b.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto pela Alfabetização na Idade Certa: Currículo inclusivo: o direito de ser alfabetizado. Ano 03, unidade 01. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2012c.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto pela Alfabetização na Idade Certa: Planejamento escolar: alfabetização e ensino da Língua Portuguesa. Ano 01, unidade 02. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2012d.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto pela Alfabetização na Idade Certa: A organização do planejamento e da rotina no ciclo de alfabetização na perspectiva do letramento, Ano 02, unidade 02. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2012e.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto pela Alfabetização na Idade Certa: Planejamento e organização da rotina na alfabetização.. Ano 03, unidade 02. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2012f.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto pela Alfabetização na Idade Certa: A aprendizagem do Sistema de Escrita Alfabética, Ano 01, unidade 03. Brasília, DF: Ministério da Educação,2012g.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto pela Alfabetização na Idade Certa: A apropriação do Sistema de Escrita Alfabética e a consolidação do processo de alfabetização. Ano 02, unidade 03. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2012h.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto pela Alfabetização na Idade Certa: O último ano do ciclo de alfabetização: consolidando os conhecimentos. Ano 03, unidade 03. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2012i.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica Pacto pela Alfabetização na Idade Certa: Ludicidade na sala de aula. Ano 01, unidade 04.. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2012j.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto pela Alfabetização na Idade Certa: Vamos brincar de construir as nossas e outras histórias. Ano 02, unidade 04. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2012k.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto pela Alfabetização na Idade Certa: Vamos brincar de reinventar histórias. Ano 03, unidade 04. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2012l.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto pela Alfabetização na Idade Certa: Os diferentes textos em salas de alfabetização. Ano 01, unidade 05. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2012m.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto pela Alfabetização na Idade Certa: O trabalho com gêneros textuais na sala de aula. Ano 02, unidade 05. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2012n.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto pela Alfabetização na Idade Certa: O trabalho com os diferentes gêneros textuais em sala de aula: diversidade e progressão escolar andando juntas. Ano 03, unidade 05. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2012o.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto pela Alfabetização na Idade Certa: Planejando a alfabetização: integrando diferentes áreas do conhecimento: projetos didáticos e sequências didáticas. Ano 01, unidade 06. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2012p.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto pela Alfabetização na Idade Certa: Planejando a alfabetização e dialogando com diferentes áreas do conhecimento. Ano 02, unidade 06.. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2012q.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto pela Alfabetização na Idade Certa: Alfabetização em foco: projetos didáticos e sequências didáticas em diálogo com os diferentes componentes curriculares Ano 03, unidade 06. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2012r.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto pela Alfabetização na Idade Certa: Alfabetização para todos: diferentes percursos, direitos iguais. Ano 01, unidade 07. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2012s.

BRASIL Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto pela Alfabetização na Idade Certa: A heterogeneidade em sala de aula e os direitos de aprendizagem no ciclo de alfabetização. Ano 02, unidade 07. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2012t.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto pela Alfabetização na Idade Certa: A heterogeneidade em sala de aula e a diversificação das atividades. Ano 03, unidade 07. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2012u.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto pela Alfabetização na Idade Certa: Organização do trabalho docente para promoção da aprendizagem. Ano 01, unidade 08. Brasília, DF: Ministério da Educação 2012v.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto pela Alfabetização na Idade Certa: Reflexões sobre a prática do professor no ciclo de alfabetização: progressão e continuidade das aprendizagens para a construção do conhecimento por todas as crianças. Ano 02, unidade 08. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2012x.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto pela Alfabetização na Idade Certa: Progressão escolar e avaliação: o registro e a garantia de continuidade das aprendizagens no ciclo de alfabetização. Ano 03, unidade 08. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2012z.

BRASIL. Lei n° 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, [2014a]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm. Acesso em: 9 ago. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Planejando a próxima década: conhecendo as 20 metas do Plano Nacional de Educação. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2014b.

DUARTE, N. Vigotski e o “aprender a aprender”: crítica às apropriações neoliberais e pós-modernas da teoria vigotskiana. 2. ed. Campinas: Autores Associados, 2000.

EVANGELISTA, O. Faces da tragédia docente no Brasil. In: XI SEMINÁRIO INTERNACIONAL DA RED ESTRADO, 6, 2016, México. Anais [...] México, 2016. Disponível em: http://redeestrado.org/xi_seminario/pdfs/eixo3/68.pdf. Acesso em: 18 abr. 2018.

FACCI, M. G. D. Valorização ou esvaziamento do trabalho do professor?: um estudo crítico-comparativo da teoria do professor reflexivo, do construtivismo e da psicologia vigotskiana. Campinas, SP: Autores Associados, 2004.

FERREIRO, E. Alfabetização em processo. São Paulo: Editora Cortez, 1989.

FERREIRO, E.; TEBEROSKY, A. A Psicogênese da língua Escrita. Porto Alegre: Artes Médicas, 1985.

MARTINS, L. M.; MARSIGLIA, A. C. G. As perspectivas construtivistas e histórico-crítica sobre o desenvolvimento da escrita. Campinas: Autores Associados, 2015.

MORTATTI, M. R. L. Alfabetização no Brasil: conjecturas sobre as relações entre políticas púbicas e seus sujeitos privados. Revista Brasileira de Educação, v. 15, n. 44, p. 329-341, maio/ago. 2010.

MORTATTI, M. R. L. História dos métodos de alfabetização no Brasil. In: SEMINÁRIO “ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO EM DEBATE”, 2006. Anais [...]. Brasília, DF: 2006 Disponível em:portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/enfund/AlfMortattihisTppext alfbbr.pdf. Acesso em: 15 jan. 2018.

MORTATTI, M. R. L. Um balanço crítico da década de alfabetização no Brasil. Cadernos Cedes, Campinas, v. 33, n. 89, p. 15-34, jan./abr. 2013

SOUZA, E. E. P.de. A formação no Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC). In: ANPED SUL, 10, 2014. Florianópolis. Disponível em: http://xanpedsul.faed.udesc.br/arq_pdf/95-0.pdf. Acesso em: 31 jan. 2018

TULESKI, S. C. Vygotski: a construção de uma psicologia marxista .2. ed. Maringá: Eduem, 2008.

Publicado
2020-08-28