Programas de Intervenção Precoce: o que revelam as teses e dissertações

Autores

  • Ana Regina Lucato Sigolo Candido Universidade Federal de São Carlos
  • Fabiana Cia Universidade Federal de São Carlos

DOI:

https://doi.org/10.18675/1981-8106.vol26.n52.p332-348

Palavras-chave:

Revisão bibliográfica, Intervenção precoce, família

Resumo

Os objetivos principais desse trabalho foram identificar as teses e dissertações produzidas em Programas de Pós-Graduação que abordam o tema da Intervenção Precoce e identificar nos estudos os dados empíricos que avaliam a relação entre os programas de intervenção precoce e as famílias. Os descritores utilizados foram atenção precoce, estimulação precoce, estimulação essencial, estimulação infantil, estimulação do desenvolvimento infantil, intervenção precoce e vigilância do desenvolvimento. Os trabalhos foram analisados por meio de uma ficha avaliativa em que constava o autor, instituição de origem, grau de titulação, tema principal, tipo de pesquisa, participantes, procedimentos para coleta de dados, análise dos dados, base teórica, fonte teórica, resultados e conclusões. Foram analisados 78 trabalhos. Os estudos revelaram que a identificação de crianças elegíveis para a estimulação precoce ainda está centrada nas características infantis. As avaliações têm se voltado para o desenvolvimento infantil sem considerar os fatores contextuais que também o influenciam.

Biografia do Autor

Ana Regina Lucato Sigolo Candido, Universidade Federal de São Carlos

Departamento de Psicologia Programa de Pós-Graduação em Educação Especial

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2016-08-30

Como Citar

LUCATO SIGOLO CANDIDO, A. R.; CIA, F. Programas de Intervenção Precoce: o que revelam as teses e dissertações. Educação: Teoria e Prática, [S. l.], v. 26, n. 52, p. 332–348, 2016. DOI: 10.18675/1981-8106.vol26.n52.p332-348. Disponível em: https://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/educacao/article/view/9386. Acesso em: 17 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos