A Educação Ambiental do Jardim Botânico de Porto Alegre em um contexto de incertezas

  • Júlia Fialho Soares Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Russel Teresinha Dutra da Rosa Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Resumo

Este estudo objetiva registrar ações do Jardim Botânico de Porto Alegre (JBPA) como espaço de Educação Ambiental (EA), considerando a ameaça de extinção da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul, instituição que o mantém. É um estudo de caso qualitativo com análise documental, observação do Curso de Formação de Educadores oferecido pelo Núcleo de EA, análise de questionário respondido pelos participantes e entrevista com o ministrante. Os resultados indicam que o JBPA contribui para a redução da cegueira botânica e o aprendizado contextualizado cultural e historicamente da conservação da biodiversidade. O Curso tratou sobre catalogação e manutenção do acervo de jardins botânicos e seus objetivos; as diversas coleções botânicas vivas do JBPA; relações ecológicas e histórias didaticamente relevantes de plantas. A EA do JBPA, sustentáculo de sua atuação, contribui para reverter danos ambientais decorrentes da ação humana em um sistema socioeconômico de produção e consumo predatórios.

Biografia do Autor

Júlia Fialho Soares, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Mestranda no PPG Botânica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Russel Teresinha Dutra da Rosa, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Professora Associada do Departamento de Ensino e Currículo, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Publicado
2020-09-23
Seção
Artigos